15 out, 2019

[RESENHA] As Irmãs Cynster #2: Salva Por Um Cavalheiro

Oiiii seus lindos, as coisas não estão ocorrendo muito na ordem com esta série por aqui, mas hoje vim falar com vocês um pouquinho sobre Salva Por Um Cavalheiro, o segundo volume da Trilogia das Irmãs Cynster, lançado aqui no Brasil pela Editora HarperCollins Brasil, e como falado na primeira resenha (vocês podem conferir AQUI) é uma trilogia, dentro da série Os Cynster, que possui (até onde eu sei) 26 livros publicados lá fora, e sem perspectiva de publicação por aqui. Mas a trilogia por si só é uma história maravilhosa e que vale a pena ser conhecida, então bora lá conferir o que eu achei do segundo livro.

Eliza é a irmã do meio das Cynster, a mais calma e centrada das três eu diria, mas depois do sequestro de Heather, e seu sequente noivado com o Visconde de Breckenridge, a segurança em cima das irmãs fica muito mais forte. Mas toda este segurança não impediu que Eliza acabasse desacordada em um coche seguindo em direção a Edimburgo, e após 3 dias e 3 noites sedadas ela decide que precisa escapar, nem que para isto precise fingir que está desacordada.

Neste meio tempo o Jeremu Carling, um erudito que percorre os prados escoceses por uma estrada que não é muito utilizada, acaba se deparando com a situação improvável de uma mulher gritando desesperadamente de dentro de um choche, ele sente que conhece a mulher… Até se dar conta de que é Eliza Cynster, uma jovem a qual ele foi apresentado nos salões de Londres.

Jaremy não é nenhum herói, não é sequer o tipo de homem que se aventura, mas apesar de ser somente um especialista em hieróglifos famoso, ele é também um cavalheiro e isto faz com que ele se coloque em posição de salvar Eliza, e obviamente tentar descobrir que é este terrível sequestrador escocês que insiste em querer sequestrar uma das irmãs Cynster.

Durante o resgate a Eliza, Jaremy acaba por confrontar diretamente o misterioso escocês (que sinto em dizer, segue sendo misterioso mesmo, pelo menos até agora) em um perigoso penhasco, uma situação os faz pensar se finalmente os ardis do vilão misterioso irão se findar, mas principalmente é o momento em que Eliza e Jeremy se dão conta do sentimento que surgiu em meio a jornada, e então é preciso decidir o que fazer com este sentimento.

Eu não deixei como segredo para ninguém que fiquei completamente apaixonada pelos livros desta trilogia (que vergonhosamente eu fiz resenha do primeiro e do terceiro, mas ainda não tinha feito do segundo), o meu único problema com a escrita da autora é que ela demora um pouco para poder engrenar na história efetivamente, mas quando engrena é IMPOSSÍVEL largar a leitura.

Este não é meu livro preferido, deixei claro por aqui já que o grande amor da minha vida é o terceiro livro, mas eu gosto muito de como a história da Eliza transcorre, me pareceu muito adequada com a personagem, que é a mais calma das três irmãs, a intelectual, mas infelizmente ela passa boa parte do livro se comparando com as irmãs, apesar de eu compreender que a autora fez isto como uma parte do processo de evolução e descoberta dela como pessoa, chega um ponto que estas comparações ficam chatas.

O Jeremy é um personagem bem fofinho, e achei ele extremamente corajoso, porque a decisão de ajudar a Eliza colocou ele completamente fora de sua zona de conforto, já que ele poderia facilmente ter deixado os sequestradores seguirem com ela e ir até a cidade mais próxima pedir ajuda (mas obviamente ai não teríamos uma história legal), mas ele opta por ajudar ela e mais do que isto eu acredito que ele ajuda a Eliza a se descobrir, a entender quem ela realmente é e o que ela quer para a vida dela.

É muito legal acompanhar o processo de evolução da Eliza, porque ela começa extremamente perdida, com uma autoestima completamente refém das comparações com as irmãs, e também porque as mudanças não ocorrem de uma hora para outra, e é encantador ver como o Jeremy auxilia neste desenvolvimento, e como ele também aprende. Porque antes nosso cavalheiro era completamente recuso e refém de seus papeis (que obviamente pra um erudito eram as únicas coisas que essencialmente importavam) e ele passa a entender que a vida é muito mais do que só deter conhecimentos.

A forma como os dois se encaixam também é maravilhosa, porque é tudo muito gradativo e quando eles vão percebendo as semelhanças já é tarde demais para que se ignore o potencial que uma possível relação pode ter.

Eu li este livro em ebook, então não posso falar muito sobre como é a edição física. O Ebook possui alguns erros de revisão, mas nada que prejudique a leitura, ainda que incomode em algumas partes.

A escrita da autora começa de forma um pouco lenta, e em alguns momentos ela fica muito descritiva, mas é muito gostosa e a leitura vale muito a pena. Eu já resenhei por aqui o terceiro e último livro desta trilogia, e vocês podem conferir minha opinião sobre esta PERFEIÇÃO que é o final da trilogia das Irmãs Cynster é só clicar AQUI, porque é o melhor livro de toda está saga (pelo menos até onde eu li) até o momento. Eu consegui os outros 15 livros (SIM são 15 livros antes da trilogia das Irmãs Cynster) em espanhol, e assim que eu acabar de ler eu venho aqui contar para vocês o que eu achei deles.

Aninha

Tags: , , ,

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário