20 maio, 2020

[RESENHA] Os Fargo #3: O Reino

Sam e Remi Fargo então no Sumatra a trabalho quando recebem a visita de Zhilan, secretária do famoso e rico empresário Charles King. Ele quer a ajuda dos dois em algo muito sério, algo que envolve Frank Alton, amigo de longa data do casal. Mesmo não gostando da forma como Zhilan age, ambos gostam demais de Alton para não se reunirem com King.

Chegando ao encontro, o milionário explica que Alton, um detetive muito bom, foi contratado para encontrar o pai de King a muito desaparecido. O problema é que o detetive também desapareceu. Mesmo que os Fargo digam que isso é normal o empresário afirma que era parte do combinado manter contato enquanto Alton estivesse na investigação.

Mesmo que a especialidade de Sam e Remi não seja caçar pessoas, eles aceitam procurar o amigo já que é alguém querido. Só que ambos não demoram a suspeitar do que realmente tenha acontecido, e quem está por trás desse desaparecimento. Isso os levará a descobrir para que foram realmente contratados e levará os dois a terras distantes e perigosas.

Depois que li A Caçada, também do Clive Cussler, caí de amores pelo autor. Então, claro que estava ansiosamente a espera de um novo livro dele, e assim que pude peguei O Reino para ler já que ele é pertencente a um gênero que adoro. Histórias investigativas e de caça a tesouros me fascinam desde sempre.

A escrita de Clive é rápida e com ótimas sacadas. O humor que me agrada está presente, e posso dizer que em uma dose bem maior (se comparar com o outro livro do Clive) e que me deixou muito feliz em dar algumas gargalhadas durante a leitura. O autor sabe transformar algo simples em uma história intricada, cheias de laço com o passado histórico e tirar de tudo isso um enredo capaz de fazer seu leitor bem feliz.

O livro é em terceira pessoa, o que claro sempre é a melhor escolha em livros do gênero. Por que assim, os detalhes são maiores e podemos conhecem bem melhor diversos personagens ao mesmo tempo. Falando em personagens, Sam e Remi são adoráveis. Eles têm uma sintonia muito boa para tudo que vão fazer. Um termina a frase do outro, um acompanha o raciocínio do outro. Sam é um cavalheiro que os anos de casamento não destruiu, e Remi uma mulher forte e que está longe do estereótipo de mulher fraca e indefesa.

Também conhecemos vários outros personagens. Entre eles destaco Selma, a secretária do casal e que me fez querer que a cada página estivesse mais presente na história. Sempre me identifico muito com personagens secundários, às vezes – aqui não é o caso – mais que com os personagens principais. Ela é fiel, inteligente e maravilhosa, gostei muito dela.

Só que, por outro lado, algumas coisas não me agradaram durante o livro. Às vezes, a impressão que tive, era que a história esfriava e algumas passagens ficavam sem graça. Como se o autor tivesse um pouco perdido na sua própria história. Isso durava poucas páginas, uma vez que a ação está sempre bem presente durante o livro, mas essas passagens eram tão chatas que me deixaram insatisfeito momentaneamente.

Outro desagrado está na diagramação. Várias vezes os diálogos começam na mesma linha de um pensamento ou um comentário mental dos personagens. Isso de os diálogos estarem na mesma linha do parágrafo anterior não me agrada, e eu acho que a editora poderia ter mais cuidado com isso, uma vez que já ouvi algumas pessoas também dizerem que também não gostam.

A capa é muito linda, tudo a ver com a história. Gosto dessa pegada de ilustração que a editora escolheu como assinatura dos livros do autor. A diagramação é simples e encontrei alguns erros de revisão. O Reino é um livro divertido, com uma história aparentemente simples mais cheia de reviravoltas. Tem tudo para agradar apreciadores do gênero.

Título: O Reino Série: Os Fargo #3 Páginas: 336 | Autor(a): Clive Cussler e Grant Blackwood  Editora: Nome da Editora | Ano: 2012

Avatar

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

4 Comentários

  • Avatar
    Lucy
    junho 23, 2020

    Oi, Koldney! Sou dessas que curte um livro em primeira pessoa, mas valorizo um em terceira quando a história é bem contada,. Pelo visto, esse é o caso desse livro. Fiquei muito entusiasmada pela história conforme fui lendo a sua resenha, é uma dica e tanto de leitura!
    bjos
    Lucy – Por essas páginas

  • Avatar
    Luna
    junho 18, 2020

    Eu amo histórias que envolvem mistérios, desaparecimento e investigação. E se tiver um humor bem construído é maravilhoso!

    Fiquei curiosa em entender o que de fato aconteceu com o Alton. Como assim ele desaparece ao procurar por uma pessoa desaparecida?! Isso me deixou louca para descobrir tudo o que envolve esse mistério.

    Lamento que o livro tenha alguns momentos mais parados, mas que bom que isso não estragou a leitura!

    Bjs!

  • Avatar
    Ivi Campos
    junho 15, 2020

    Eu ainda não conhecia o livro e achei a premissa interessante, mas acho que essa questão dos diálogos começarem no meio do parágrafo me desagradariam também. Mas achei a ideia do livro interessante.
    Beijos

  • Jéssica
    Jéssica
    junho 15, 2020

    Amor do meu coração que resenha incrível! Essa sensação de que a história esfria em alguns momentos é muito ruim porque até retomar o ritmo da narrativa meu interesse já não está lá tão mais direcionado ao livro como naquelas tramas em que (mesmo que o ritmo não seja frenético) não tenha tantos altos e baixos na narrativa.

    Esse tipo de diagramação também me incomoda demais Kold me passando uma ideia de desorganização na composição do livro, sabe? Enfim, é bem ruim esse tipo de composição onde não há a separação entre pensamentos e diálogos. Realmente a capa é uma coisa incrível mesmo, a NC arrasou viu, essa capa com uma pegada de HQ ficou incrível como marca para esses livros. Amei a resenha ♥