Posts arquivados em Autor: Koldney

05 fev, 2020

[RESENHA] História De Um Casamento

Oi Gente.

Para quem não sabe, no próximo fim de semana nós teremos o Oscar, e como gosto de fazer anualmente, eu acaba tentando assistir os filmes que mais me interessam antes da premiação. Desde o lançamento eu estava curioso pra ver História de um Casamento, principalmente pela Scarlett, e pelos comentários de ser um filme com muito drama, acabei deixando pra algum momento em que eu estivesse tranquilo pra assistir. Vamos lá, que vou contar pra vocês o que achei. Continue lendo

29 jan, 2020

[FILME] Um Contratempo

Oi gente.

Ultimamente eu ando numa vibe de ver filmes (algo incomum, uma vez que vejo mais séries), e assim que eu terminei se ver este, eu soube que precisava vir comentar com vocês. Então se vocês gostam de thriller psicológico (e até aqueles que não gostam), venham comigo saber mais sobre ele. Continue lendo

22 jan, 2020

[RESENHA] Furthermore #2 – A Magia Do Inverno

Oi Gente, hoje estou trazendo pra vocês a resenha de A Magia do Inverno, continuação de Além da Magia da autora Tahereh Mafi. Por mais que o livro seja uma sequência, aqui nós temos uma nova protagonista, Laylee, que é uma mordeshoor e vive em Whichwood. Isso quer dizer que a adolescente passa seus dias esfregando cadáveres, preparando-os para suas vidas após a morte. Como sua mãe está morta e seu pau simplesmente desapareceu, ela é a única mordeshoor da cidade, então ter que cumprir o seu papel não é uma escolha, e sim algo obrigatório. Mesmo com o frio congelante na cidade, a garota não pode parar de trabalhar, e isso vai fazendo com que amargura e raiva cresçam dentro dela.

É então que do nada, Laylee recebe a visita de dois estranhos, Oliver e Alice, que recebeu a chance de uma nova tarefa, e esta está diretamente relacionada a mordeshoor que parece estar morrendo. No entanto, os dois vão perceber que conseguir a confiança dela não será fácil, e Alice se dará conta também que, aquilo que lhe pareceu um desafio tranquilo, vai lhe dar muita dor de cabeça. Continue lendo

15 jan, 2020

[RESENHA] Taker #2: Refém Da Obsessão

Esta resenha contém spoiler do livro um, O Ladrão de Almas.

Depois de conseguir fugir dos Estados Unidos após matar seu namorado Jonathan, Lanore e Luke estão morando em Londres. O médico decidiu largar tudo por Lany, e ela, por sua vez, está se sentindo feliz com a forma que ele a trata. Ele conseguiu fazer com que ela doasse muitas de suas relíquias adquiridas durante décadas, para um museu. Aquela tarde em que ambos vão a exposição dos itens doados era para ser só mais uma tarde comum, porém, Lanore sente algo, algo que não sentia há 200 anos.

 Adair está livre da prisão que Lanore o condenou, e a moça sabe o que vem a seguir, vingança. Ele com certeza vai atrás dela para um acerto de contas, e o conhecendo como Lany conhece, só resta uma única saída, fugir. Fugir para bem longe, para um lugar que Adair não encontre nem ela e nem Luke. Continue lendo

24 out, 2019

[RESENHA] Taker #1: Ladrão De Almas

Luke é médico na pequena cidade St. Andrew. É separado e suas filhas moram com a ex-esposa. Lá no fundo, não está satisfeito com a vida que leva ali, onde todos sabem tudo sobre qualquer um. É então em uma noite muito fria que ele conhece Lanore, que fora levada até o hospital por policiais. A moça está ensanguentada e confessou ter matado o namorado. O que Luke tem que fazer, é atestar se ela está bem de saúde ou não. Continue lendo

17 out, 2019

[RESENHA] A Garota Da Casa Grande

Todas as suas férias, Geórgia passa na casa de sua avó paterna e de sua tia em uma cidadezinha do interior. Ela é uma garota sarcástica, forte, e decidida. Sabe o que quer, e não tem vergonha disso. Mas guarda um segredo da parte de sua família que mora ali. Ela é homossexual, e só não contou à sua avó, por achar que ela fosse ter uma atitude conservadora. Suas férias ali são tediosas, e dessa vez, mas do que nunca, ela gostaria de estar em sua casa, em sua cidade, com seus amigos.

Mas tudo muda quando ela conhece Alice, uma menina que mora na casa grande e verde ali perto. A partir daí, Georgia vai se deparar com atitudes e pensamentos diferentes que os seus. E vai perceber que a sua vizinha, mexe consigo mais do que deveria. Continue lendo

10 out, 2019

[CAPAS PELO MUNDO] A Redoma De Vidro

Oi, oi gente maravilhosa. Como recebi feedbacks bem legais sobre a estreia dessa coluna aqui no site, decidi que seria interessante trazer as capas pelo mundo de outro livro. O escolhido da vez é A Redoma de Vidro, da Sylvia Plath. Este é um livro que eu quero ler já tem muito tempo, e que já até coloquei em um projeto de leitura pra 2020 (preparem que tem novidades vindo).

Como o livro foi lançado há muito tempo, então o que mais temos são capas e mais capas em vários países. Eu escolhi as principais delas, e também as mais recentes pra vocês analisarem, e no final, deixar ali nos comentários a ou as preferidas de vocês.

Sinopse: Dos subúrbios de Boston para uma prestigiosa universidade para moças. Do campus para um estágio em Nova York. O mundo parecia estar se abrindo para Esther Greenwood, entre o trabalho na redação de uma revista feminina e uma intensa vida social. No entanto, um verão aparentemente promissor é o gatilho da crise que levaria a jovem do glamour da Madison Avenue a uma clinica psiquiátrica.

Sutilmente, a autora apresenta ao leitor o ponto de vista de quem vivencia o colapso. Esther tem uma visão muito crítica, às vezes ácida, da sociedade e de si mesma, mas aos poucos a indiferença se instaura, distanciando a moça do mundo à sua volta. Me sentia muito calma e muito vazia, do jeito que o olho de um tornado deve se sentir, movendo-se pacatamente em meio ao turbilhão que o rodeia.
Ao lidar com sua depressão, Esther também realiza a transição de menina para uma jovem mulher. Mais que um relato sobre problemas mentais, A redoma de vidro é uma narrativa singular acerca das dores do amadurecimento.

E então, o que me dizem? Qual a capa favorita de vocês? Não esqueçam de indicar livros que vocês querem ver nessa coluna.

02 out, 2019

[RESENHA] QUAL SEU NÚMERO?

Delilah Darling tem 29 anos, é solteira e bem… é uma mulher fácil. Simples assim e ponto final. Ela mora sozinha em seu apartamento e trabalha em uma empresa chamada Elisabeth Sterling. Ops… sinto muito mais ela e sua melhor amiga Michelle são demitidas. Só que antes disso, lê uma matéria de um jornal que diz que a média de uma mulher é de 10,5 homens. Isso mesmo, mas o que teria demais nisso? Simples, ela já se relacionou com 19, quase o dobro. Continue lendo

30 set, 2019

[RESENHA] EVERYTHING #1: TUDO O QUE RESTOU

Aimee Tierney aparenta ter a vida perfeita. Está noiva de James, trabalha no pub de seus pais fazendo, entre outras coisas, excelentes pães, e está planejando sua lua de mel, e esta será a primeira vez que sairá do país. No entanto, as coisas mudam quando seu noivo precisa viajar para uma viagem de negócios e misteriosamente desaparece após um acidente de barco. Os meses seguintes sem notícias são atordoadores, até que ela recebe a notícia de que o corpo de James fora encontrado. E então, o tão esperado dia do seu casamento, é o dia em que Aimee enterra o noivo.

Mas nesse mesmo dia uma mulher misteriosa chamada Lacy aparece, e diz para Aimee que muitos mistérios cercam o desaparecimento de James, e que acima de tudo ele ainda está vivo. Transtornada, Aimee é reconfortada por Thomas, seu cunhado, que dá a sua palavra que reconheceu o corpo do irmão. Aconselhada por suas melhores amigas, Kristen e Nadia, ela tenta deixar o acontecimento para trás, mas Lacy aparece outras vezes tentando convencê-la de que seu noivo ainda está vivo. Aimee tenta refazer a sua vida sem James, mas mesmo quase um ano depois, ainda é difícil abandonar a possibilidade que Lacy levantou. Ela então embarca em uma jornada de descobertas, mentiras e segredos.

Quando comecei a ler Tudo o que restou, imaginei que essa seria uma leitura fluida e que terminaria o livro bem rápido, isso porque logo nas primeiras páginas a narrativa da autora se mostrou fluida e até dinâmica. No entanto, após alguns capítulos eu me deparei com algumas questões que me fizeram passar algumas semanas lendo-o aos poucos até conseguir terminar. No entanto, antes de abordar cada um deles, vamos a alguns pontos positivos que preciso ressaltar.

Os personagens são muito bem construídos, e cada um tem sua história apresentada de forma concisa e dinâmica. Todos os personagens secundários são de extrema importância para a trama principal que é focada em Aimee, no entanto não são esquecidos ou deixados de lado. Todas essas tramas acabam dando bastante credibilidade pra história principal. A história começa no funeral de James, no entanto, temos várias viagens ao passado, onde podemos entender melhor como Aimee e James se conhecera, se apaixonaram e como eles criaram a ligação tão forte que existe entre os dois. Há um personagem que aparece pouco no tempo “presente”, mas que tem toda o seu enredo construído nesses momentos de flashback, e por mais que fosse algo que eu já hipotetizava, foi perturbador ver como tudo se desenrolava.

Mas, infelizmente nem mesmo os personagens e suas tramas me fizeram cair de amores pela história. Como eu disse lá em cima, depois de alguns capítulos eu já estava com preguiça de todo o drama que a autora estava colocando em cima da protagonista. Era como se para cada atitude dela, ela usasse a desculpa de que amava James e que agora ele já não estava mais ali. Entendo que a autora quis criar um clima de perda, mas ficou tão exagerado que eu parava a leitura por horas antes de continuar. E isso se estendeu por vários e vários capítulos.

Outro ponto que me incomodou muito, e que contradiz os sentimentos da protagonista, é que algumas coisas (super importantes) que pertenciam a James desaparece da casa dos dois, e Aimee simplesmente decide deixar para lá. Isso é muito conflituoso. Como alguém que lamenta perder o noivo, passa páginas dramatizando exageradamente aquilo, não dá o devido valor a esse tipo de coisa? Essa foi uma parte da história que não me convenceu, mesmo que posteriormente alguma luz se acende na cabeça de Aimee, e esses desaparecimentos se tornam o link pra ela largar tudo e ir atrás da verdade.

Em contrapartida foi muito bacana ver o crescimento que a protagonista tem ao longo do livro. Ela começa sendo alguém totalmente dependente de James, logo em seguida Ian entra na história e eu já imaginei que ela fosse se apoiar nele também. Mas eu estava errado, Aimee começa a andar com as próprias pernas, constrói um negócio pra si, e mesmo que tardiamente (já nas últimas páginas), consegue entender o quanto cresceu e se tornou dona de si.

O desfecho da história não me trouxe grandes surpresas porque nada saiu do que eu já esperava, nem mesmo o último capítulo que trás o gancho para o livro dois. Ele será uma das minhas próximas leituras, e espero que o desenrolar seja bem mais cheio de reviravoltas. Quanto a edição, eu li esse no Kindle, sendo o e-book cedido pela Editora Universo dos Livros. Posso dizer que a revisão está de parabéns, e que a escolha da capa não foi de todo mal.

Título: Tudo o que restou Série: Everything Páginas: 368 | Autor(a): Kerry Lonsdale 
Tradutor(a):  Jacqueline Valpassos  Editora: Universo dos Livros | Ano: 2018

25 set, 2019

[RESENHA] Beautiful Creatures #2: Dezessete Luas

Com a morte de uma das pessoas que Lena mais gostava e sua quase invocação, a garota agora se mostra triste e confusa. E é Ethan quem está tentando ajudá-la neste momento. Só que ele não lembra de nada que aconteceu na noite em que a mãe da Conjuradora apareceu e tentou levar a filha para as trevas. E isso está dificultando as coisas para o rapaz. Continue lendo