Posts arquivados em Tag: Autor Parceiro

11 abr, 2019

[RESENHA] Filhos do Acordo #3: Ithori

Oii seus lindos, desta vez eu não demorei tanto (menos de um ano é pouco como percebemos anteriormente) e trouxe para vocês a resenha de Ithori, terceiro volume da série Filhos do Acordo, da nossa parceira Thais Lopes. Juro que vou tentar falar sem muitos spoilers sobre a história em geral, mas pode ser que eventualmente algo escape, porque tanto o Ithori quanto a Suelen são velhos conhecidos das obras anteriores, mas sem prolongar demais, vamos ao que realmente interessa né?

Continue lendo

01 nov, 2018

[RESENHA] Os Di Piazzi #1: Aluga-se um Noivo

Oiii seus lindos, iniciando esse mês maravilhoso que é novembro da melhor forma que poderíamos: com uma resenha da nossa autora do mês Clara de Assis (o primeiro post da coluna sai no domingo então fiquem de olho), está resenha na verdade é meio que uma revisão de Aluga-se um Noivo, que foi o primeiro livro da autora que eu li (e vocês podem conferir a resenha AQUI) e que nos trouxe está parceria incrível, mas quando eu li foi em e-book e publicado de forma independente, e hoje esse bebezinho lindo tem uma casa linda que é a Editora Charme. Então para saber o que eu achei da nova versão de aluga-se um noivo é só continuar lendo. 

Continue lendo

07 jan, 2018

[AUTOR DO MÊS] Janeiro: Thais Lopes

Oiii seus lindos, este ano nos estamos com muitas novidades aqui no PL/EN, incluindo a nova coluna: Autor do Mês, que consiste em: um mês inteirinhoooo dedicado a um autor nacional, onde nos traremos um pouquinho sobre as obras do autor, entrevistas e muito mais. Os posts do autor do mês sairão todos os domingos, então vocês já sabem que dia tem que vim no blog conferir as novidades sobre o autor.
 
O primeiro autor convidado  é nossa parceira Thais Lopes, que está a anos acompanhando o blog e nos dando a honra de falar um pouquinho sobre seu trabalho. Mas chega de lenga, lenga e vamos falar um pouquinho sobre a autora e suas obras.

Continue lendo

26 jul, 2017

[RESENHA] Especial Nacionais: Crônicas de Táiran #2: Vigilante



Oii seus lindos, dando
sequencia nossa
Semana dos Nacionais que esta incrível! (você pode conferir os primeiros posts clicando AQUI) hoje a resenha é de Vigilante, da nossa parceira
Thais Lopes, e vou dizer para vocês que tive uma dificuldade enorme com esse livro. Primeiro
pra largar o livro e segundo pra escrever esta resenha sem falar de mais.
Tentarei ao máximo não dar spoiler de
Sentinela (primeiro livro da série), mas
infelizmente alguns vão ter que passar para que eu possa explicar o contexto,
então vamos ao que interessa!




A primeira coisa que precisam
saber é que Vigilante se passa 20 anos depois de Sentinela (vocês podem conferir a resenha AQUI), anos depois da batalha contra os guerrilheiros airenis e embora o tempo tenha passado, algumas
coisas não estão assim tão diferentes como se gostaria..

Agora a história é
contada por Ezi a mercenária que aprendeu cedo que precisava se esconder se
quisesse sobreviver naquele mundo, mas acima de tudo, ela deveria se esconder dos Guardiões,
pois se eles soubessem quem era, ou do que era capaz as coisas não ficariam
boas para o seu lado. Porém a batalha contra os guerrilheiros tinha destruído anos de
cuidado e agora Ezi precisa se esconder para que a Ordem não enviasse alguém até
ela para selar seu destino como fizeram com seus pais.

Depois de vários anos se
escondendo para se manter a salvo, Ezi vê esta sua segurança acabar quando o Arqui-Guardião Ziderrenoh
(ou Zid para os íntimos) chega à vila onde ela mora trazendo
um aviso enigmático. E aí Ezi precisa decidir o que é
mais importante: sobreviver ou assumir uma herança que certamente colocará sua
vida em risco?

Pense em um livro incrível?
Agora multipliquem por quatrocentos e você tem Vigilante! Sério eu tinha ficado apaixonada por Sentinela e não sabia bem o
que esperar da sua sequência, embora ainda aguardasse coisas boas não podia imaginar que a história fosse dar um salto de vinte anos para o futuro, e como eu sou boba e inocente e não
consigo compreender a mente insana da Thais, acabei ficando completamente apaixonada.

A maneira como a história do
primeiro e do segundo livro foram entrelaçadas, abriu um mundo de possibilidades para a história que eu não sou nem capaz de imaginar. Vigilante segue um tempo tão perfeito que foi impossível largar o
livro para fazer qualquer coisa, fiquei com aquela sensação de que em pouco tempo aconteceria algo importante o que torna deixar a leitura de lado (mesmo que por pouco tempo!) uma tarefa dificílima.

As personagens que aparecem
aqui são como sempre muito bem escritas, algumas são velhas conhecidas, pois
estavam na história de Sentinela, como a Ezi, o Zid, os mercenários e alguns
guardiões, mas alguns são completamente novos e igualmente apaixonantes. Não
vou falar sobre cada um dos personagens separadamente, porque se não a resenha
vai ficar imensa e posso acabar falando mais do que deveria, então vou
contar porque me apaixonei por alguns especificamente.

Tenho esse péssimo habito de me apaixonar pelos personagens
principais e aqui não foi diferente. Eu me apaixonei pela Ezi e a força que ela
tem para equilibrar as coisas e fazer aquilo que ela acredita ser o certo, mas
me incomodou um pouco com a maneira com a qual a protagonista se adaptou a seguir ordens
sem questionar nada, e mesmo este meu incomodo foi superado porque consegui acompanhar a evolução da personagem e a maneira como encontra uma força em si mesma que ela nem imaginava que tinha e isso me encantou.

O Zid foi pelo mesmo princípio
da Ezi, mas a questão dele era ser autoritário e rígido de mais (como todos os
guardiões
), e aos poucos ele vai se descobrindo e deixando que a Ezi veja
quem ele realmente é, tornando impossível não se apaixonar. E a
outra personagem que me encantou verdadeiramente nesta história foi a Thria que
é aquela amiga que fica na dela até certo ponto, mas que é completamente admirável!

Em Vigilante nós iremos
mergulhar mais afundo na história de Ionessen e descobrir muito do que veio
antes deste tempo, o que tornou clara, para mim, várias situações e os motivos para
alguns conflitos. Não consigo achar um ponto falho na história ou algo que
tenha deixado a desejar, porque seguindo o ritmo que foi do primeiro para o segundo
livro, eu acredito que as dúvidas que ficaram em aberto vão ser solucionadas
nos próximos volumes.

Caso vocês queiram adquirir os
livros das Crônicas vocês basta 
CLICAR AQUI, e se não conhecem a
história recomendo fortemente que vocês mudem isso o quanto antes porque não se pode passar
uma vida sem conhecer a história de Táiran!

Título: Vigilante | Série: Crônicas de Táiran | Páginas: 345 Autor(a): Thais Lopes | Editora: Senhor da Lenda
25 jul, 2017

[RESENHA] Especial Nacionais: Faz Amor Comigo?



Oi seus lindos, dando sequencia a nossa Semana dos Nacionais hoje eu trago para vocês mais uma resenha da nossa parceira linda Clara de Assis (as resenhas dos outros livros dela vocês podem conferir clicando aqui), e preciso dizer para vocês que Faz Amor Comigo? (que pode ser adquirido por aqui) não é nada do que eu imaginava, é completamente diferente e absolutamente apaixonante. Então para descobrirem porque eu fiquei tão completamente apaixonada, é só continuar lendo a resenha.


Helena é uma garçonete “caipira” vivendo no interior do Estado Wyoming e que passa por um momento muito difícil, se é que podemos chamar assim, pois ela acabou de terminar um relacionamento de anos com o xerife da cidade, e como estamos falando de uma cidade do interior, ficar sem ver o ex não é uma opção possível, afora o fato de ter modificado todos os seus planos e se tornado garçonete na lanchonete da mãe.





Mikha (por enquanto chamaremos ele assim) é um homem misterioso, maravilhoso e que tem uma total falta de senso no início da história, mas que até esta sua falta de jeito nos encanta completamente conforme a trama vai evoluindo e conhecemos um pouco melhor o sr. mistério aqui.



As histórias de Helena e de Mikha se cruzam quando ele descobre que ela é a única alma que brilha para ele, o que nos faz entrar em um mundo completamente diferente daquele que era esperado quando observamos o titulo ou até mesmo a sinopse, pois quem imaginaria que a trama é permeada por elementos do universo sobrenatural? Enfim, o que queremos mesmo saber é: porque a alma de Helena brilha?


Preciso mesmo que vocês entendam que ainda que o título demonstre ser mais um erótico com o qual nos estamos acostumados (porque foi exatamente isto que imaginei quando a Clara me mandou a sinopse e a capa!), o livro é muito mais do que isto, com um enredo completamente envolvente principalmente surpreendente.



O início do livro é um tanto confuso e demorei umas boas dez páginas para entender o que estava acontecendo ali, mas não desistam por este motivo porque daí pra frente a história vai se encaixando perfeitamente bem e nos encantando a cada página. A escrita da Clara é como sempre muito fluida e tranquila, o que (feliz ou infelizmente nos faz evoluir rápido na leitura e querer mais páginas, mesmo a história tendo um fim bem legal



A tama apresentada aqui é uma fantasia e um erótico juntos (sim tem cenas de sexo, elas só não são o foco principal) e é realmente incrível, eu só senti falta de algumas informações e algumas páginas durante a passagem de tempo da história (que da um salto de 3 anos mais ou menos!) e que me deixou um questionamento de como as coisas aconteceram para chegar a aquele ponto, mas tirando isto o resto foi tudo perfeito. 



Vale ressaltar que a história é narrada em primeira pessoa pelo Khaim, o que pra mim foi uma novidade porque nunca li uma história que fosse narrada exclusivamente pelo homem, e embora eu tenha sentido um pouco de falta do ponto de vista da Helena (todos sabemos que eu amo saber de tudo a respeito de todos os personagens!) não foi algo que tenha feito falta, pois a história transcorreu perfeitamente bem do jeito que foi escrita.





Espero que tenham gostado e em breve venho contar para vocês um pouquinho mais sobre as obras da autora, e não deixem de conferir os outros livros da semana de nacionais 😀


Título: Faz Amor Comigo? |  Páginas: 210
Autor(a): Clara de Assis| Editora: Kindle Edition
24 jul, 2017

[RESENHA] Especial Nacionais: 8 Segundos


Hoje damos início ao projeto especial Semana dos Nacionais aqui no blog. Vamos ter posts todos os dias para falar um pouco sobre algumas obras de autores nacionais que amamos! E para começar trago a resenha de 8 Segundos da Camila Moreira, uma das minhas autoras favoritas no mundo! Provavelmente quem segue o blog já percebeu que gosto de romances eróticos, mas ando um tanto decepcionada com o gênero porque ou as personagens criadas são doentes demais para o meu gosto, ou o enredo deixa muito a desejar (já que os dramas e segredos não são lá tão interessantes quanto fantasio durante a leitura), mas a Camila consegue dosar bem e, dos livros dela que li, tenho muito pouco a reclamar. 

Pietra e Lucas são de dois mundos completamente diferentes: ela uma pessoa mimada que não cresceu e vive às custas do pai, tem tudo que quer e na hora que quer. Ele um cara simples do interior, foi criado pelo tio e é completamente apaixonado pela natureza e por tudo que ela pode proporcionar. O maior sonho de Lucas é conseguir chegar a Barretos, o de Pietra ir morar em Paris.

Para a jovem conseguir o seu tão almejado apartamento na Cidade Luz ela fez um acordo com o pai de ficar trinta dias na Fazenda Girassol e só depois ela poderia partir. Lucas por outro lado decidiu voltar a montar e por isso precisa retomar os treinos, afinal ficar oito segundos em cima de um touro bravo não é a tarefa mais fácil de todas.

Quando eles se encontram, logo que Pietra chega à fazenda, ambos logo percebem duas coisas: não se suportam e há uma química avassaladora entre eles. Depois disso, por mais que tentem não se envolver, isso acaba sendo impossível. E as diferenças entre eles, apesar de gritantes, escondem um passado doloroso e que nenhum dos dois tem ciência no começo da história.


Apesar de ela ser o esteriótipo da pessoa mimada e insuportável que cria caso por tudo, Pietra já sofreu muito por causa da mãe, sem nunca ter superado. Por outro lado, Lucas não é o cara mais sortudo do mundo, seu passado guarda uma trágica história envolvendo seus pais. Será que isso vai funcionar? O que o futuro reserva para o peão e a patricinha? Eles vão conseguir superar o passado para construir uma relação?

Bom, como havia dito, mesmo adorando o gênero estou realmente cansada da mesmice que andam sendo os livros eróticos ─ assim como muita gente ─, mas a Camila parece saber disso e, por e traz algumas coisas novas para sua narrativa. A primeira delas é que os dramas e segredos de cada personagem não são bobos, eles realmente afetam e chegam a chocar o leitor. A segunda ─ e pra mim o grande acerto dela ─ é colocar o ponto de vista tanto da mocinha quanto do herói da história, assim nós enxergamos os dois lados da história e tudo fica muito mais emocionante.

Durante uma boa parte do livro a personalidade da  Pietra me incomodou, mas acredito que a Mila tenha feito isso de propósito, porque a personagem da uma virada em sua vida muito grande depois de alguns acontecimentos. O que não gostei foi do fato de que em poucos meses a Pietra muda completamente de uma jovem mimada e egoísta para alguém altruísta e que aprendeu a amar a vida no campo. Essas mudanças radicais de personagens em pouco tempo realmente não me convencem, acredito que por mais que o amor transforme a pessoa leva um tempo para deixar de lado tudo que você foi durante toda a sua vida para se tornar alguém melhor. Por outro lado é interessante que no  fim ela tenha tentando seguir seu caminho e feito suas próprias escolhas independentemente do  que sentia pelo Lucas.


Lucas por outro lado foi um encanto e realmente é difícil não se encantar pelo jeito que ele olha a vida e quando estamos vendo a história sob sua perspectiva fica tudo mais leve e bonito. Fiquei de fato encanta pela construção desta personagem e sobre tudo com a forma maravilhosa que a Camila conseguiu apresenta-lo no livro sem ficar caricato.

Diferente de muita gente, eu adorei essa capa desde o dia que a Suma de Letras a divulgou, gosto dos tons usados. O único probleminha na capa é o material usado no título. Mesmo mantendo meu livro bem quietinho no canto dele 8 Segundos começou a desbotar e por isso acredito que poderiam ter pensado nisso.

Uma coisa realmente engraçada que preciso compartilhar com vocês é que, no começo da leitura fiquei um pouco desconfortável porque toda vez que lia o nome “Lucas” associava ao meu irmão ─ que, aliás, é dois anos mais novo que eu ─, uma experiência não muito legal, podem acreditar em mim. Minha mãe (que é super fã da Mila) também teve o mesmo problema. Mas conseguimos, depois de um número considerável de páginas, não lembrar dele e assim a leitura correu maravilhosamente bem para nós duas.















Título: 8 Segundos | Páginas: 280Autor(a): Camila Moreira  | Editora: Suma de Letras
13 jun, 2017

[RESENHA] O Amor Não Tem Leis #2: O Julgamento Final



Não é segredo nenhum que adoro literatura picante, mas ultimamente venho percebendo que as histórias são todas muito iguais. Não é que este livro seja tão inovador assim, mas ele traz algumas coisas diferentes das quais eu realmente gostei.




Caso queiram saber o que achei do O Amor Não Tem Leis, basta clicar no nome do livro que será direcionado (a) para a resenha dele. Vale a pena avisar que esta resenha possui spoilers do primeiro livro e se você ainda não leu e não quer saber informações da trama recomendo que pare por aqui.

Ferraz anda vivendo o seu inferno pessoal: a única mulher que ele já amou na vida terminou com ele no hospital dizendo amar outro enquanto seu irmão estava entre a vida e a morte. Agora que se passou dois meses desde que tudo aconteceu ele tenta deixar tudo que tem a ver com Clara de lado para se dedicar à sua carreira, mas principalmente ao seu irmão. Não que esteja realmente funcionando.

Clara também não anda exatamente no sétimo céu: depois de terminar com Ferraz, o único homem que conseguiu amar depois de Felipe, ela não podia continuar com ele já que tinha colocado a vida de Diego em perigo, ver outra pessoa que ama morrer por sua causa seria insuportável. Para lidar com toda essa pressão emocional ela acaba viajando e, quando volta, decide que é hora de começar uma terapia para tentar resolver os milhões de problemas emocionais que ela sabe que tem.

Todos nós sabemos que quanto mais eles tentam não se ver mais, mais eles irão encontrar e depois de algumas indas e vindas eles finalmente se acertam, mas Ferraz acaba recebendo um vídeo de Derek e Clara e interpreta tudo errado de novo e eles terminam, cada um fica arrasado à sua forma e uma das melhores cenas do livro acontece neste momento: eles se enfrentando no tribunal.

O que todos queremos saber é: a Menina e o Lobo Mau vão acabar se acertando? O que acontece com o Príncipe e o Derek? Eles também poderão ter o seus respectivos finais felizes? E, acima de tudo, quem causou o “acidente” de Diego e Clara? Para essas perguntas eu tenho uma única resposta: leiam O Julgamento Final que vocês terão algumas dessas respostas!

A maioria desses livros picantes têm o mesmo enredo: menina inocente (e sem sal!) acaba encontrando o cara que mexe com ela de um jeito que nenhum outro fez antes e ele é lindo, poderoso, rico (e bad boy no melhor sentido do termo!) e os dois começam uma relação física, mas acabam se apaixonando e depois de mil um dramas (principalmente por causa dos mimimis da garota!) eles acabam terminando. Bom, algumas coisas realmente são assim em O Amor Não tem Leis, mas a narrativa da Camila é, muitas vezes, mais profunda que isso.

Outro ponto a favor é que a Clara não tem nada de sem sal, ela tem uma personalidade forte e quando viu o tamanho do erro que cometeu ela vai correndo tentar consertar (o que gera cenas bem divertidas!) e não é só isso: todas as coisas erradas que o Alê faz ela não deixa de lado e aceita, ela o enfrenta e não leva o desaforo pra casa. Por causa disso eu acabei me identificando muito com a Clara.

Nesse segundo livro ela e Ferraz estão afastados e por isso temos uma participação maior do personagens secundários. Deles todos, os que mais gosto são o Fernando e a Pri, e por isso senti de falta de saber mais sobre o final deles. Além disso temos a revelação de quem provocou o acidente do Diego e nem sei como desconfiei da personagem certa porque é a coisa mais improvável do mundo!

Algumas coisas me incomodaram, como a falta de necessidade de ter separado a narrativa em dois livros, o fim do Derek também sendo um grande ponto de interrogação pra mim (mas ele possui seu próprio livro, então eu relevei esta questão) e já caminhando para o final da história, descobrimos que tem um imenso clichê nos esperando ali. Eu adoro clichês gente, não me entendam mal, mas a Mila surpreendeu tanto com suas personagens que queria um final diferente dos que sempre leio por aí.


Faz alguns anos desde que a Camila terminou a história da Clara e do Alexandre, mas a duologia O Amor Não Tem Leis gerou um spin-off que fala sobre o Derek, (Minha Melodia foi publicado em 2016 Suma!) e tudo nos leva a crer que a Camila anda trabalhando num livro dedicado ao Diego.




Título: O Julgamento Final | Série: O Amor Não TemLeisPáginas: 263 
Autor(a): Camila Moreira  | Editora: Suma de Letras
14 maio, 2017

[RESENHA] Tal Mãe. Tal Filha.



Oiiii seus lindos, hoje nos
finalizamos nosso Especial de Dia das Mães, então não percam a ultima chance de
participar da promoção e ganhar um livro pra você e outro pra sua mãe, a
promoção corre até hoje as 23 horas, então não percam tempo, cliquem
AQUI e
bora lá participar.

E pra encerrar nosso especial
com chave de ouro, eu trago pra vocês a resenha de Tal mãe. Tal filha. Da nossa
parceira Clara de Assis, o livro especial para o dia das mães e vocês simplesmente não podem deixar de adquiri-lo (podem
fazer isto clicando AQUI), e por quê? Porque a história é simplesmente incrível
e divertidíssima!!!


Allison Hamilton não se
preocupa com outra coisa além de sua carreira e ascensão, é uma das melhores
produtoras executivas de moda, na conceituada Revista Heat. Tudo caminha
maravilhosamente bem, Allison tem a perspectiva de uma promoção em breve e uma
maneira de esfregar seu sucesso na cara de sua prima, Carolyn. Allison só
precisa resolver um pequeno contratempo — para conseguir a promoção,
impressionar a equipe e mostrar o quanto é apta e maravilhosa, ela tem de
apresentar sua filha a chefe —, o problema? Allison não tem uma filha.

Amy Evans acabou de fazer dez
anos e se orgulha disso. Passou muito tempo tendo o que queria e na hora que
queria, aprontando e se aproveitando bastante do fato de ser órfã de mãe e ter
um pai ocupado demais, que se culpava por não dar à filha uma família
convencional, como a que ele teve. Mas Amy passou de todos os limites e agora
estava sem qualquer regalia. Seus problemas parecem ter uma solução quando sua
vizinha, Allison Hamilton, precisa de uma família “Express”. Conforme Amy
começa a conhecer melhor sua mãe de mentirinha, percebe que Allison pode ser a
resposta para todas as questões que transformaram os Evans num fiasco.

Gente eu não sei nem como
começar a falar deste livro, mas uma coisa de extrema importância é: leia-o no
fim de semana, quando tiver um tempo livre! Porque a Clara me mandou ele no
meio da semana, eu peguei pra ler pra poder trazer a novidade pra vocês hoje, e
simplesmente não consegui largar o livro!!! Nada de trabalho, nada de estudo,
só o livro e por quê? Porque é IMPOSSÍVEL! Ressaltando IMPOSSÍVEL! Começar a
ler e largar, só não da gente a história te prende de uma maneira, que embora
eu tenha elaborado mil ideias do que a Alisson poderia fazer, eu ficava
desesperada pra poder saber como ela ia resolver as coisas, como ia sair dessa
e como o destino ainda podia colaborar com ela.

E por falar em destino,
precisamos falar de como ele foi bondoso com a Alisson quando colocou a Amy em
seu caminho, porque simplesmente a garota era o sopro de paz (ainda que uma paz
tumultuada porque a garotinha é fogo) que ela precisava na vida dela, uma
maneira de ela ver que uma mentira trouxe pra ela talvez a melhor coisa que ela
poderia ter na vida.


Eu simplesmente amei todo o
contexto da história que me surpreendeu muito. No inicio eu pensei que seria a
história de uma garota fútil que queria crescer em uma empresa de moda, só
porque moda era algo legal e almejado (ala O Diabo Veste Prada) e uma garotinha
que é a clássica pobre menina rica, com dinheiro de mais e atenção de menos do
pai. E aconteceu o que? Aquilo que na maioria das vezes acontece comigo: cai do
cavalo lindamente.

A história é incrível porque
não trata a moda como uma coisa extremamente almejada e valorizada, é um sonho
que a Alisson aprendeu a sonhar e que depois de todas as dificuldades pelas
quais ela passou, ela mostra determinação ferrenha e mostrando sempre que com
esforço pode-se chegar onde quiser, e aí vem a Amy que é uma menina com
problemas familiares, mas que a todo o momento tenta se mostrar forte e não se
faz de coitadinha e isto me encantou: a maneira como ela lida com os próprios sofrimentos.
De uma maneira geral as duas simplesmente se encaixam de uma maneira
sensacional, porque elas amadurecem juntas, uma ajuda a outra a descobrir coisas em si que nem elas sabiam que existiam.

 E temos também John, o pai incrivelmente
ausente e sexy da Amy, que tenta suprir as necessidades da filha com dinheiro,
como se isto fosse tudo, mas de uma maneira mais profunda, a gente entende que
ele foi criado tendo como referencia o distanciamento dos pais e que ele meio
que só passa aquilo que ele cresceu aprendendo, afora o fato de ter de criar
uma garotinha sozinho, em resumo ele é perdido mesmo rs, porem tudo na vida tem
um jeito né? E Este homem incrivelmente sexy também tem o jeito dele.

Todos os demais personagens são
muito bem definidos e tem seus papeis bem encaixados, os pais da Alisson (que
até certo ponto são um fiasco de pais também, devo dizer) o irmão dela e a
prima incrivelmente falsa e insuportável (me identifico muito com a Alisson
nesse ponto, porque detesto coitadinhas), Hope a empregada dos Evans, a avó de
Amy e claro os colegas de trabalho de Alisson. Todo esse conjunto de
personagens bem escritos resulta em uma história: encaixada, engraçada e
simplesmente apaixonante!
A vontade que eu tenho é de
contar um milhão de coisas para vocês, mas não posso rs, o que posso dizer é:
vocês DEFINITIVAMENTE precisam ler este livro e se deliciarem com as aventuras
de Alisson e Amy. 
E é isso minha gente, feliz dia das mães para vocês (para que é né? Rs) e para as mamães de vocês, em um ritmo divertido e repleto de confusões que acabam em amor, como na maior parte das famílias. 













Título: Tal mãe. Tal Filha Páginas: 314| Autor(a): Clara de Assis
 Editora: Distribuído pela Amazon
21 mar, 2017

[RESENHA] O Amor Não Tem Leis



É indiscutível que um dos gêneros mais vendidos hoje em dia são os romances com conteúdo adulto e, para ser bem sincera, gosto bastante do gênero, mesmo me frustrando com a história desenvolvida pelos autores e autoras uma boa parte do tempo. O caso é que O Amor Não Tem Leis, que é exatamente um desses livros adultos, fez com que eu ficasse apaixonada pela história de Clara e Ferraz e admirasse mais uma autora nacional!




Alexandre Ferraz é um advogado penalista renomado, desde que seu pai se aposentou ele assumiu o escritório e agora comanda com firmeza o lugar, que ganhou ainda mais credibilidade. Ele e o irmão mais novo, Diego, trabalham duro para manter o padrão do escritório, mas diferente do caçula da família Ferraz, Alexandre não é tão sociável e uma de suas regras na empresa é “nada de estagiários”, pelo menos para ele. Então o jovem advogado fica revoltado quando o pai designa uma amiguinha da irmã mais nova para ficar sob a sua supervisão no estágio da empresa.

Maria Clara, por outro lado, não andou exatamente comprometida com a faculdade de Direito, ela trancou o curso por um ano para viajar com um cantor famoso pelo mundo, claro que seus pais não sabiam disso e imaginavam que ela estava no Canadá aprimorando o seu inglês. Então, quando a jovem precisa de horas de estágio para concluir a faculdade ela recorre a sua antiga amiga, Priscila Ferraz, para ajudá-la a conseguir uma vaga de estagiária em um dos melhores escritórios do país, com um dos melhores penalistas brasileiros.

O que Ferraz não esperava é que a amiguinha da irmã fosse uma mulher absolutamente linda e completamente sexy. Já Clara não esperava que o seu chefe não fosse ser um senhor de idade, ela fica surpresa ao descobrir que ele não é só irresistível, mas que também teria que lidar com uma grande tensão sexual.

Claro que nenhum deles vai conseguir resistir durante muito tempo, claro. Eles acabam se rendendo ao desejo não muito depois de se conhecerem, mas mesmo que a noite tenha sido a melhor de todas para ambos eles já decidiram: ela será a única. Mexido com o sexo que aconteceu com Clara, Ferraz quer porque quer outras noites, mas ela acaba colocando o chefe em seu devido lugar e avisando que não vai acontecer um revive do que aconteceu e isso o atormenta ainda mais. Alê não está acostumado a levar “não” em sua vida.

É quando ele começa a tecer um plano que tem tudo pra fazer Clara implorar por ele, ele começa a ignorá-la e só tratar de assuntos profissionais com ela, o que, certamente, confunde a cabeça da mulher. O golpe final é dado depois de ela tê-lo visto em um júri e decidir que não aguentaria mais um dia e quando finalmente! ela decidi que quer uma nova noite com ele o que acontece? Ela o vê com outra mulher, uma amiga de longa data na verdade, mas Clara não sabe disso. Isso a deixa com ciúme e ela sai pra beber.

Na boate, com Laís, sua outra melhor amiga Clara já bebeu bastante quando encontram Bruno, um advogado que é amigo de Ferraz. Por causa de um enorme mal-entendido os dois voltam a ficar juntos, mas não sem antes acertarem alguns pontos… O problema é que ela esconde um grande segredo que pode dificultar muito a vida deles dois.

Como já disse no começo da resenha, eu realmente gosto desse gênero e um dia vou explicar mais pra vocês… Mas focando nesse livro: eu adorei! A escrita da Camila é fluida e realmente te prende. Claro que o livro tem seus clichês, mas a Clara é uma protagonista tão diferente do que estou acostumada, nada da bobinha que é insegura e totalmente irritante! Maria Clara é obstinada e feminista, não tem nenhum medo de mostrar sua feminilidade e, maquiagem e saltos não são um problema pra ela.

Mas ela é uma jovem mulher de 23 anos que já passou por uma coisa terrível, não tem a vida perfeita e em tons de rosa. Ela é forte porque aprendeu a ser e, mesmo assim, tem suas fragilidades. Clara é uma das personagens mais reais que tive o prazer de ter contato. Já Alexandre parece ter sido inspirado em um grande amigo meu, enquanto lia vi tantos traços do meu mencionado amigo no Alê que era até assustador! E acredito que por isso mesmo eu me “apaixonei” por ele, foi bem interessante a experiência. 

Outras coisas, no entanto, me incomodaram. A questão do ciúme doentio do Ferraz era um tanto assustador e sou o tipo de pessoa que não acredita que ciúme, ou o sentimento de posse, sejam provas de amor. Todo livro que leio tem isso, toda vez fico incomodada. Clara também me deixa um tanto frustrada em alguns momentos e isso é só mais uma coisa que sempre vai acontecer porque pessoas me frustram na vida real então como poderia ser diferente na literatura? Bom, tem um vocabulário bem tenso, se é que vocês me entendem, mas, por incrível que pareça, não me incomodou.

Não posso esquecer de comentar apenas mais duas coisas: achei essa capa um tanto constrangedora para se ler em público. Eu entendo o gênero do livro, mas não seria possível uma coisa mais discreta? E a segunda é que o livro tem uma carga dramática legal no final (eu inclusive chorei e ainda fiquei revoltada com o final!), então não é só cena de sexo o tempo todo, apesar de serem muitas!

Você tem mais de 18 anos e gosta do gênero? Eu recomendo que não perca tempo e leia logo O Amor Não Tem Leis e se junte aos fãs do Lobo Mau. Faz alguns anos desde que os dois livros foram lançados, mas esta duologia gerou um spin-off que fala sobre o Derek, (Minha Melodia foi publicado ano passado pela Suma!) e tudo nos leva a crer que a Camila anda trabalhando num livro dedicado ao Diego.



07 set, 2016

[RESENHA] Crônicas de Táiran #1: Sentinela



Oiii amores, hoje nos vamos falar
um pouquinho sobre Sentinela, da nossa parceira Thais Lopes, aquela mesma que
escreveu O Ciclo da Morte (para ver a resenha é só clicar aqui), mas este livro
é um universo completamente diferente, são histórias distintas, então não
imaginem encontrar o mesmo padrão de história aqui, pois ainda que este mundo
seja proporcionalmente apaixonante, ele é completamente diferente.


Ionessen é um mundo marcado por
guerras onde a magia é comum e a tecnologia controlada, onde os erros do
passado não são esquecidos e suas consequências demorarem séculos ate serem
percebidas.

Desde a criação do Reino C’erit, seus portões de então nunca foram atravessados, ninguém sabia o que acontecia  dentro do Reino, e qual o destino de seus habitantes que tempos atrás haviam se isolado para construir um novo lar. Por isto até mesmo os Guardiões se surpreendem com a chegada de uma mensagem enviada do Reino.


A Arqui- Guardiã  Aila é enviada em resposta ao chamado. Mas nem
mesmo uma vida inteira na cidade- fortaleza dos Guardiões a preparariam para o
que precisará enfrentar: traição, uma nova ameaça a Ordem e um homem capaz de
abala- lá.

A história tem aquela pegada de
ficção cientifica e talvez isto possa te deixar um pouco receoso de ler o
livro, caso não seja seu estilo, mas não deixe que isto te impeça de ler,
porque eu particularmente não gosto muito e ainda assim me apaixonei por
Sentinela, porque a história é leve de um jeito que eu nunca achei que um livro
deste estilo fosse ter e a história te prende de uma maneira desesperadora
(daquele tipo que você para de fazer só para saber o que irá acontecer).

O mundo é muito bem detalhado,
o que torna fácil se imaginar circulando por aquele ambiente, vivendo aqueles
dramas e lutando as batalhas junto com os personagens. Cada ambiente em que a
história se passa é bem descrito e a maneira como cada um se envolve na trama é
muito bem encaixada.

Os personagens são todos importantes,
ate mesmo aqueles que aparecem meio que em plano de fundo, porque todos eles
são bem descritos e eu percebi uma participação bem fechadinha (daquele tipo em
que o personagem está ali para um determinado momento, ele faz o que tem que
fazer e quando ele sai de cena você não fica sentindo que faltou algo), mas
obviamente tem-se aqueles personagens pelos quais nos nós apaixonamos não é
mesmo? E como eu sou a louca dos crushs literários (tenho um em praticamente
todo os livros que eu leio), aqui não poderia ser diferente não é mesmo? Então
vamos falar um pouquinho de quais eu achei mais importantes (podem não ser
todos os que são realmente importantes para a história ok? São só os que eu realmente
amei <3) e o que eu mais gostei neles:

Aíla– é a Arqui-Guardiã mais incrível,
perdendo só para a Krisla (mas quando lemos vemos que é obvio o motivo rs),
enfim ela não é só uma Guardiã bem treinada e forte, que sabe do que é capaz e
o que tem fazer sem ficar com aqueles mimimis irritantes que muitas personagens
principais tem. Ela é forte porque ela tem medos e receios, ela luta a todo
tempo com o seu passado, fazendo o máximo possível para não deixar que seus
medos a impeçam de fazer algo no futuro, mas em resumo ela é incrível!

Kai– é o Rei C’erit, que
admito: a principio eu achei que ele seria o elo fraco da história, ainda que a
Aíla visse o homem forte que ele havia sido antes que ela o encontrasse, eu pensava
que ele ainda ia me irritar sendo o elo fraco, e obviamente eu estava errada.
Ele é forte e tem um senso de lealdade que torna tudo o que ele faz pessoal, o
que o leva a dar o melhor de si para tudo o que faz, e em vários momentos nos
somos agraciados com a presença e a força não só do Rei, mas também do homem, e
isto realmente me deixou apaixonada por ele.

Edel– é o filho do Rei C’erit e
um garotinho incrível, ele tem um senso de responsabilidade enorme e é tão
inteligente que a gente fica assustado, mas ele não deixa aquela impressão de
pequeno homem, ele é uma criança e age como tal, com receios e pedidos que são característicos
da infância, então fica claro a todo o momento que ele é uma criança, com
pensamentos de criança, mas que é muito esperto e inteligente, o que faz com
que não seja enganado pelos adultos.

Krisla– é a Arqui- Guardiã
fodona (pra mim ok?), ela é incrível de diversas maneiras que eu não posso explicar rs, mas o
que mais me encanta nela é que ela tem uma sabedoria fria, que faz com que a
trama tome rumos dos quais nos sequer poderíamos esperar, ela tem um ar de “deia
que eu sei o que estou fazendo” que ao mesmo tempo é um pouco arrogante, mas
que também é aceitável (soou um pouco confuso? Talvez, mas não sei como
descrever de outra forma rs).

Os demais personagens são muito
bem trabalhados como eu disse, e alguns dos quais eu não descrevi aqui são de
suma importância para a história, mas eu somente não saberia como descreve-los
sem contar algo importante, mas ainda assim são todos muito bem escritos e bem
trabalhados, encaixados na história de uma maneira que as vezes nos sequer imaginaríamos.

Eu ouvi muitos dos parceiros da
Thais dizendo que Sentinela tinha uma pegada de Star Wars, eu concordo? Não.
Por que? Porque eu não gosto de Star Wars (me julguem!) e estou simplesmente
apaixonada por Sentinela. Eu não posso discordar plenamente de quem diz isto,
pelo simples fato de que nunca tive muita paciência para ler ou assistir Star
Wars, então se vocês acham que parece me contem aqui nos comentários rs.

Título: Sentinela | Série: Crônicas de Táiran | Páginas: 297 | Autor(a): Thais Lopes
 | Editora: Senhor da Lenda