Posts arquivados em Tag: Editora Harlequin

30 ago, 2019

[RESENHA] Procura-se Um Novo Amor

Oiiii seus lindos, hoje vim contar para vocês um pouquinho sobre Procura-se um Novo Amor, o livro mais fofinho que eu li este ano (pelo menos até o momento) e que foi lançado pela Harlequin e me foi uma história ao mesmo tempo apaixonante e surpreendente. Então se quiser saber porque me encantei tanto é só continuar lendo. Continue lendo

17 jan, 2019

[RESENHA] Os MacGregors #0.1 #0.2: Rebelde e Um Mundo Novo

Oiii seus lindos, hoje vim falar para vocês um pouquinho sobre Rebelde e Um Mundo Novo, da série Os MacGregors, lançado pela Harlequin. É uma série um tanto quanto confusa, mas não tem problema nenhum ler fora de ordem porque mesmo que seja a mesma família alguns livros são de gerações diferentes e cada história é independente, então para saber o que eu achei da história é só continuar lendo.

Continue lendo

03 jan, 2019

[RESENHA] Mosaico #1: Pertinácia

Oiii seus lindos, hoje vim falar para vocês um pouquinho
sobre Pertinácia, da autora nacional Sue Hecker, e lançado pela Harlequin. Sei
que demorei muito tempo para resenhar este livro, mas cá estou eu para contar o
que achei da obra para vocês, então para saber um pouco mais, basta continuar
lendo.

Continue lendo

13 dez, 2018

[RESENHA] A Fênix de Fabergé

Oiii seus lindos, a resenha de hoje é sobre esta obra maravilhosa das autoras nacionais: Sue Hecker e Cassandra Gia, que foi lançada pela Harlequin, e que me conquistou de diversas formas diferentes! Então para saber por que eu me apaixonei por esta obra é só continuar lendo.

Continue lendo

06 dez, 2018

[RESENHA] Irmãos Lancaster #1: Bruto e Apaixonado

Oiiii seus lindos, a resenha de hoje é sobre Bruto e Apaixonado, primeiro livro da trilogia Irmãos Lancaster que foi lançado pela Harlequin. Admito que me surpreendi com a história, porque esperava um romance hot daqueles que não tem nada de mais, e embora não seja uma leitura que tenha me ganhado completamente, foi uma leitura muito boa, então para conferir o que mais eu achei é só continuar lendo.

Continue lendo

22 nov, 2018

[RESENHA] Para Nova York, com Amor #2: Pôr do Sol no Central Park

Oiii seus lindos, hoje nos vamos falar um pouquinho sobre Por do Sol no Central Park, segundo livro da serie Para Nova York, Com Amor (o primeiro vocês conferem AQUI), lançado pela Harlequin. Com o final fechadinho do primeiro livro eu já me perguntava quem seria o casal do próximo livro, embora todos os dois possíveis casais já tivessem sido inseridos, eu acreditava que a segunda história seria da Eva, a amiga romântica incurável, mas para minha agradável surpresa o segundo livro foi o da Frankie e eu fiquei total e absolutamente apaixonada. Para saber um pouquinho mais sobre, porque eu cai de amores por este livro, é só continuar lendo.

Continue lendo

13 set, 2018

[RESENHA] Para Nova York, Com Amor #1: Amor em Manhattan



Oiiii seus lindos, hoje vim falar para vocês deste livro que eu estou a meses querendo ler e somente agora pude realmente pega-lo: Amor em Manhattan, o primeiro volume da série Para Nova York, Com Amor. E que me deixou total e completamente apaixonada, meio revoltada, mas irrevogavelmente viciada! Então borá lá conferir o que eu achei da história.

Continue lendo

16 ago, 2018

[RESENHA] Os MacGregors#5: Hoje e Sempre

Oi seus lindos, hoje vamos falar um pouquinho sobre Hoje e Sempre o quinto volume da Coleção MacGregor, lançada aqui no Brasil pela Harlequin e da renomada Nora Roberts, que preciso admitir que eu nunca li nada escrito por ela, mesmo sempre lendo varias coisas positivas sobre ela. Então bora lá conferir o que eu achei da obra.

Continue lendo

02 ago, 2018

[RESENHA] Querida Conselheira Amorosa #1: A Verdade Sobre Amores E Duques

 

Oiiii seus lindos, hoje vamos falar um pouquinho sobre A Verdade Sobre Amores e Duques, primeiro volume da série Querida Conselheira Amorosa… Que eu estou querendo ler desde o início do ano e que agora FINALMENTE consegui, e gente que finalmente viu? Que história incrível! Não sei nem por onde começa a falar sobre esta obra sensacional que foi lançada aqui pela Editora Harlequin. Então bora lá conferir o que eu achei desta maravilhosidade.



A vida de Henry Cavanaugh, duque de Torquil, é bem
movimentada e um tanto quanto desordenada, considerando a família que tem.
Assim seus anseios para o futuro giram sempre em torno de uma vida ordenada e previsível.
Seu único auxílio no controle das coisas vem de sua mãe, até ela se apaixonar por
um artista e seguir os conselhos amorosos de Lady Truelove, largando tudo e a todos para seguir seu coração. Henry
não concorda com isto, e para reverter a situação ele vai exigir que a mulher
que deu aquele conselho imprudente (que não pesou em nada as consequências daquela
união para toda a sua família!
), convença sua mãe a não se casar, impedindo assim
que o nome da família do duque acabe na lama.



Irene Deverill é o exato exemplo do que a alta sociedade
londrina chama de ovelha negra: solteirona orgulhosa e editora chefe do jornal
da família. Mas o que a sociedade pensa sobre ela não importa, principalmente agora
que ela tem um gigantesco problema em mãos: ela precisa, ou melhor, é obrigada,
a ajudar o Duque de Torquil a
resolver seu maior problema familiar: o casamento de sua mãe. A questão é que
toda esta proximidade com o duque pode não ser uma boa ideia, e o relacionamento
forçado acaba por despertar sentimentos que a jovem dama nunca havia sentido.



Não sei nem por onde começar a elogiar essa perfeição em
formato de livro! Quando eu iniciei a leitura rezei muito para que a autora
não modificasse alguns fatos e que a história seguisse tão incrível como via
que ela poderia ficar (falei sobre isto no post de primeiras impressões do Instagram do blog que você pode ler 
CLICANDO AQUI) e preciso dizer para vocês que não fui decepcionada em nenhum momento!
Que as coisas só melhoraram mesmo e que ainda quando eu pensei que a autora
poderia dar uma escorregada, ela veio e me mostrou que sabia exatamente o que
estava fazendo.



O mundo está em transformação em 1892, começam a surgir
movimentos sufragistas, as mulheres começam a ter carreiras, e as que se
arriscam a isto não são bem vistas, exatamente o caso de Irene, uma mulher que viu sua
família ruir pela má administração do pai quando este perdeu a mulher que
amava, que teve de ver o irmão partir para a América quando foi expulso pelo
pai, e para não se vê juntamente com a irmã e o pai na sarjeta, acaba por tomar
as rédeas do negócio da família e consegue com muito esforço e dedicação
reerguer as coisas. E o que aconteceu no caminho foi a mudança não só na
maneira como ela enxerga o mundo, mas que como consequência a tornou uma
sufragista, e que sob hipótese alguma pretende mudar. Até que ela se vê
embrenhada nos problemas da aristocracia e acaba tendo de conviver com este
mundo cheio de regras que ela detesta.



E é neste mundo repleto de regras que Henry vive e comanda
sua família e terras com imenso rigor, seguindo a todos os padrões
estabelecidos pela sociedade, é por isto que ele se desespera quando a mãe
decide se casar com um artista que toda a sociedade conhece por suas conquistas
e pela fama de
salafrário. É este desespero que o leva até o escritório de
Irene, e que desde o primeiro momento ele se sente atraído pela linda mulher,
que ainda que esteja com roupas de sufragista (coisa que ele acreditava que não
deixaria nenhuma mulheres desejável!
) não consegue deixar de estar maravilhosa,
no entanto a beleza de Irene fica para segundo plano quando ele vê que ela tem
uma língua extremamente afiada e opiniões fortes que ela não se importa em proferir,
ainda que as regras de boas maneiras determinem que ela deveria guardar as
coisas para ela.



O mais incrível no relacionamento que começa a surgir entre
o Henry e a Irene é que a paixão dele é muito mais óbvia que a dela, é ele quem
demonstra isso primeiro, mas principalmente é ele quem percebe que há algo
entre os dois, e eu amei isto! Porque enquanto a Irene ficava pensando que
achava ele atraente, mas que não gostava dele, ele já havia percebido que por
mais que certos comportamentos dela não fossem adequados, ele gostava dela.



Fiquei com os dois pés atrás em relação ao romance, Irene
é uma personagem extremamente forte, com opiniões à frente de seu tempo, que
não se importava com o que a sociedade iria pensar ou falar sobre ela, só
importava ela trabalhar para mostrar verdades, mas principalmente, só importava
sua luta pelo movimento e a busca pelos direitos das mulheres. Achei todos estes pontos nela incríveis e o meu maior medo durante a leitura era
que para o relacionamento com o duque acontecer ela tivesse que sucumbir aos
ditames sociais e acabasse perdendo todas aquelas coisas que compunham a
personalidade dela, e assim o amor justificasse a submissão da mulher a vontade
do homem única e exclusivamente por ela desejar ficar com ele e esta ser a única
forma.



Foi aí que a Laura Lee olhou para mim de dentro daquele
livro e disse
“calma aí queridinha, eu não sou qualquer escritora e tenho
Julia Quinn como fã! Me respeita que eu sei o que estou fazendo”,
e como sabe
viu! Ela manteve a Irene fiel a seus ideias e objetivos até a última página,
mas mais do que isto, ela fez com que a Irene por meio de conversas e
demonstrações abrisse a cabeça do Henry, tornando ele não mais aquele duque rígido
e que só agia pensando nas regras e no que as pessoas pensariam, ela mostrou a
ele que a vida é muito mais do que isto, e que o que realmente importava era a
família e aqueles que ele amava.



Os personagens secundários são ou apaixonantes ou odiosos,
depende da função deles no contexto, mas todos eles tem seus papeis bem demarcados
e são encantadores. Só preciso ressaltar meu amor pela Clara, imã mais nova da
Irene e pela Angela, irmã mais nova do duque, porque elas são mocinhas bem
promissoras, e acredito que a Angela será bem revolucionaria também rs, então
aguardo obras que aprofundem bem o caráter e as coisas que as duas poderão
fazer.



É claro que quando começamos a leitura nos já sabemos dos clichês
de relacionamento e já imaginamos como irá terminar, a diferença aqui é a forma
como as coisas acontecem, as reviravoltas inesperadas e toda a composição que a
autora fez para que as coisas não fossem tão obvias assim, porque em certo
momento da história eu pensei “eles não vão ficar juntos, isto não vai dar
certo” e ai eu fui lá e dei uma bisbilhotada na ultima folha (devia ter feito
isto? Não, mas foi mais forte do que eu) e ai comecei a me perguntar como é que
a Laura Lee ia fazer para as coisas chegarem no ponto em que o livro terminava,
e foi então que eu sucumbi a autora e decidi que realmente ela é muito incrível
e tem um dom maravilhoso para guiar seus personagens.



A edição da Harlequin esta maravilhosa, com esta capa linda
que é muito adequada para a obra, com uma diagramação simples, e com um desenho
no inicio de cada capitulo que é muito adequado ao contexto como um todo, quase
não achei erros de revisão, as folhas são amareladas e com uma fonte bem confortável.



Em resumo é um mundo extraordinário, com uma história que
trás não só um romance arrebatador, mas também com questões sociais muito
importantes e principalmente que nos mostra a importância das relações
familiares e a diferença que faz uma demonstração de amor pelo seus. Estou mais
do que ansiosa para descobrir quais serão as novas questões do próximo volume e
mal posso esperar para rever alguns destes personagens que me encantaram tanto.
Título: A Verdade Sobre Amores e Duques Série: Querida Conselheira Amorosa Páginas: 318
 Autor(a): Laura Lee Guhrke  Tradutor(a):  Thalita Uba | Editora: Harlequin| Ano: 2018

11 jun, 2018

[RESENHA] Cavaleiros de Champagne #2: Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare


Oi gente! Na resenha do especial do Mês dos Namorados de hoje (e se você não sabe do que estou falando clica aqui) vou falar um pouquinho com vocês sobre Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare, um romance de época bem diferente que foi lançado a pouco tempo pela Editora Harlequin. Então continue lendo pra saber mais.



Clare tem um passado bastante conturbado o qual ela esconde de todos que estão  a sua volta, mas a assombra constante e incansavelmente. Ela nunca soube quem são seus pais, foi vendida como escrava e fez algo terrível para se livrar deste destino. A jovem realmente não levou uma vida fácil, mas quando encontrou o Sir. Geoffrey, uma cavaleiro de origem humilde, as coisas começaram a mudar.


Acontece que Geoffrey cometeu um terrível erro para para tentar ajudar sua mãe doente, Nicolla, e sua irmãzinha, Nell. O preço foi alto e ele acabou pagando com a própria vida. Sem querer desamparar as duas pessoas mais importantes da vida do homem que a ajudou ela acaba ficando e cuidando delas, o que leva Clare até um torneiro onde recebe uma terrível notícia: o mercador de escravos que a vendeu está na cidade e com uma característica tão marcante como a heterocromia seria facilmente reconhecida por ele.



É por causa do torneio que Sir. Arthur, um homem que não possui berço e por esforço próprio se tornou o mais importante dos cavaleiros do local, vê a jovem dama e logo tem a sensação de que a conhece. Ele a viu uma vez no funeral de Geoffrey, mas há algo mais o incomodando que ele não consegue dizer.




Pouco tempo depois  quando está voltando para casa com Nell ela se depara Verona, o mercador de escravos que a vendeu. Sem nenhuma outra opção ela manda a menina de volta para casa com uma desculpa e decide fugir de Champanhe naquele momento. Acontece que o time dela não poderia ser pior, já que é mais ou menos neste momento que Arthur se lembra porque ela lhe é tão familiar: ele já viu aqueles mesmos olhos em um Conde bretão. E então ele supõe que ela só pode ser a filha bastarda do mesmo.


Como Clare já havia partido, Arthur é enviado atrás dela e designado para levá-la até seu provável pai e apresentar um ao outro, mas a jornada dos dois toma rumos muito mais improváveis e uma ligação nasce entre os dois, uma ligação que Clare quer a todo custo ignorar enquanto Arthur deseja explorar…



Eu estava bastante ansiosa por essa leitura, mas confesso que Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare demorou a empolgar. Se eu não me engano ele é o segundo livro de uma série, mas o terceiro a ser lançado (uma bagunça total!) que se inicia com O Campeão De Lady Isobel ou Cartas Para Uma Falsa Dama, não sei dizer porque a ordem de lançamento desses livros pela Harlequin é uma bagunça só! Aliás pasmem: a editora não faz qualquer link entre os livros além do estilo da capa, deixando a entender que apesar de serem da mesma autora são independentes. O começo foi extremamente confuso por fazer menção ao livro anterior e olha que legal: eu não li! Então foi difícil avançar as primeiras cinquenta páginas, mas quando a narrativa foca na história de Arthur e Clare as coisas fluem melhor.



Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare talvez seja o romance de época mais diferentão que já li. Ele se passa em 1.174, então aqui não tem bailes e tudo que eu vejo em livros do gênero o quê foi bom, fugiu um pouco do esperado. Por outro lado isso coloca a trama em plena Idade Média, mas Carol Townend parece ignorar várias vezes a ambientação da história e coloca elementos tão progressivos na trama que fica difícil “comprar”. O que é realmente uma pena porque a premissa é interessante e o período em que se passa o romance também.




Clare é uma personagem cheia de nuances e com uma história absolutamente trágica o que me fez sentir empatia por ela quase que imediatamente. Arthur não é menos complexo e possui um charme que é difícil de ignorar, assim como seu senso de justiça e lealdade. A química entre eles é boae apesar de eu ter demorado um pouco para torcer pelo casal quando aconteceu eles realmente me conquistaram.


Senti muita falta de personagens secundários, eles praticamente só aparecem no começo e no fim do livro, mas fiquei particularmente apegada a Francesca, cuja vida é diretamente afetada e modificada pela simples existência de Clare e que, a princípio, eu achei que detestaria. Nell também roubou meu coração, a garotinha temperamental é tão fofa que foi impossível não gostar dela, ainda mais levando em conta as coisas ruins pelas quais já passou ainda tão nova.



A capa é linda e o nome combina muito bem com a história, o fato de que a heterocromia da personagem está retratada nela me chamou especial atenção já que é fundamental para o desenvolvimento da história. A diagramação é bem simples, mas linda, a contracapa é cheia de arebescos verdes claros com fundo verde mais escuro e a fonte de tamanho agradável somada às páginas amareladas ajudam a leitura a fluir bem.



Não é que eu não tenha gostado do livro, mas esses pontos que citei acima realmente me incomodaram. Eu esperava mais, mas mesmo assim foi uma leitura legal, mas para mim a obra não passou disso o que achei realmente uma pena já que vi um grande potencial no enredo.








Título: Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare Série: Cavaleiros de Champagne Páginas: 256 
Autora: Carol Townend Tradutora:  Silvia Moreira  | Editora: Harlequin | Ano: 2018