Posts arquivados em Tag: Editora Novo Conceito

24 out, 2019

[RESENHA] LADRÃO DE ALMAS

Luke é médico na pequena cidade St. Andrew. É separado e suas filhas moram com a ex-esposa. Lá no fundo, não está satisfeito com a vida que leva ali, onde todos sabem tudo sobre qualquer um. É então em uma noite muito fria que ele conhece Lanore, que fora levada até o hospital por policiais. A moça está ensanguentada e confessou ter matado o namorado. O que Luke tem que fazer, é atestar se ela está bem de saúde ou não. Continue lendo

31 jul, 2019

[RESENHA] Detetive D.D. Warren #2: Esconda-se

Desde pequena, Anabelle Granger vive fugindo com seus pais. De um lado para o outro do país e sempre mudando de nome, para não deixar pistas. Tudo começou quando presentes começaram a ser deixados para ela na varanda de sua casa, e seu pai, extremamente preocupado com sua segurança, não aguentou mais. Nada de amigos, nada de contato, seu pai sempre a preparou muito bem para confrontos diretos e fugas rápidas. Com o tempo, Anabelle perdeu a mãe, restando apenas o pai como companhia nas fugas. Quando seu pai também morre, Anabelle perde qualquer chance de saber porque e de quem tem fugido por todos aqueles anos. Continue lendo

06 mar, 2019

[RESENHA] O Menino Dos Fantoches De Varsóvia

Oiii gente, hoje eu vou contar para vocês sobre O Menino Dos Fantoches De Varsóvia, lançado pela Editora Novo Conceito, da escritora Eva Weaver. Se quiser saber um pouco mais sobre a obra, continue lendo. 

Continue lendo

26 jan, 2017

[RESENHA] Anna, Lola e Isla #2: Lola e o Garoto da Casa ao Lado



Oiii seus lindos, hoje nos
iremos falar sobre Lola e o Garoto da Casa ao Lado, segundo livro da trilogia
Anna, Lola e Isla (Anna e o Beijo Frances vocês podem conferir aqui) a história
de Lola é diferente da de Anna (para quem espera uma continuação do romance
entre Anna e St Clair, lamento dizer que não irá acontecer, embora eles
apareçam na história), mas de uma maneira inteiramente única é tão cativante
quanto.


Lola Nolan é uma designer-
revelação que acredita em trajes, não em moda, para ela quanto mais a roupa for
expressiva melhor ( muito brilho, divertida, mais selvagem), mas mesmo com todo
este estilo que beira o ultraje, ela é uma filha e amiga dedicada e cheia de
planos para o futuro. A vida dela esta perfeita (ela tem ate um namorado
roqueiro, que é o sonho de consumo da maioria das meninas), porém a vida
perfeita de Lola toma outro rumo quando os gêmeos Bell, Calliope e Cricket,
voltam a morar em seu bairro.




Cricket é um inventor
habilidoso, que passou grande parte da vida vivendo a sombra de sua irmã gêmea,
e agora ele sai dessa sombra e retorna para a vida de Lola, causando um alvoroço
na moça e fazendo com que ela precise conciliar seus sentimentos com o que
sempre sentiu pelo garoto da asa ao lado.

Bom é até difícil falar sobre
Lola, eu amei a história e amei a maneira como ela se desenrola, preciso dizer que
li Lola antes de ler Anna (por quê? Porque eu tenho o dom de ler um livro
achando que ele é o primeiro quando ele é o segundo -.-‘’) e não interferiu em
nada, aqui Anna aparece como uma fiel amiga e ainda que apresente fatos da
primeira história, não é nada que interfira no entendimento da segunda.

Lola é super descolada e não
tem medo de se vestir como acha melhor, ainda que os outros a olhem de maneira
estranha ela só é ela mesma e pronto e eu gosto muito disso nela, pois ela não
se importa com o que os outros pensam dela e isso me encanta.

Quando Cricket aparece e volta
pra vida da Lola é como um novo recomeço, de uma história em que ele deveria
ser o protagonista e era o coadjuvante (porque ele vivia a vida da irmã e não a
dele) e ele é um carinha simplesmente maravilhoso <3 eu me apaixonei por ele
e achei que embora tenha sido um pouco demorado, quando ele toma as rédeas da própria
vida a gente vê uma evolução linda.

A história é muito fofa e
fluida e tem uma pegada bem leve, mesmo com personagens fortes, acho a capa
bonita (embora prefira a original) e a diagramação é muito bem feita.
Enfim é um daqueles livros incríveis
que vale a pena dar uma chance, a leitura é rápida e não custa nada dar uma chance
pra eles né? <3















Título: Lola e o Garoto da Casa ao Lado | Série: Anna, Lola e Isla | Páginas: 288
Autor(a): Stephanie Perkins Editora: Novo Conceito
11 fev, 2016

[RESENHA] Quando Uma Garota Entra Em Um Bar



Li este livro há um tempinho, ganhei ele de presente de
aniversario, e achei a proposta dele diferente. Quando você vê a capa fica
instigado, e confesso que imaginei uma história completamente diferente. E me
desculpem meninos, mas toda a dinâmica é voltada para as meninas


Um aviso importante antes de continuar lendo o post: ESTE LIVRO NÃO É RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS por causa de seu conteúdo sexual, por este motivo  a resenha pode conter certos aspectos relacionados e também não é indicada para o público menor de idade

Você se arruma toda para sair com suas amigas, mas de última
hora elas mudam os planos, o que fazer? Trocar de roupa e ficar em casa mesmo?
Sair sozinha e ver o que a noite lhe reserva? Estes são os questionamentos que
o livro propõe a principio, e é ai que ele começa a ficar interessante, pois é
você quem determina o curso da história, os acontecimentos e como a noite irá
terminar, mas sem saber o que vai acontecer depois da próxima decisão.

A história começa com você (sim você que está lendo, se
normalmente nós já entramos na história e nos sentimos parte do livro, imagina
em um livro que da a sensação de que é você que esta descrevendo tudo?) arrumando-se para sair, e o primeiro questionamento é: Qual calcinha usar? E ai
dependendo da sua escolha você vai para uma determinada página com um novo
capitulo que faz com que você viva uma experiência diferente

Massssss (e sempre tem um mas!) as autoras querem que
você escolha um determinado tipo de calcinha então independente da calcinha que
você escolha, você acabara escolhendo uma que já estava pré determinada rs. E
por que isto? Por que se você escolhe uma calcinha que não se encaixe nas
histórias dos outros capítulos, você mesma acaba com o livro.


Porém o direcionamento termina aí, em mais nenhuma parte do
livro elas lhe induzem a tomar uma decisão, e você mesma monta uma aventura,
que não é sobrenatural e nem impossível de acontecer na vida real.

Para mim o mais interessante do livro, é você poder visualizar
quantas coisas podem acontecer quando uma mulher solteira sai sozinha à noite
(Aninha, nada que acontece no livro é novidade para mim, então me deixa ser
feliz, obrigado, de nada!)
, e o quanto a sua decisão de fazer ou não pode
trazer coisas legais, bizarras e etc.

Achei o livro extremamente interessante, fácil e rápido
de se ler, e uma proposta incrível que nos mostra como a escolha de uma
calcinha e a vontade de fazer as coisas podem definir o rumo da noite.



Foi uma experiencia única de ver que a história do livro era a minha, e que só dependida do que eu queria e de quais escolhas eu faria para que a história corresse de uma maneira diferente, é aquela sensação da vida, de que o rumo que sua vida toma depende única e exclusivamente das escolhas que você faz. É um livro +18, com o intuito de te mostrar como uma noite em um bar pode terminar, mas que me mostrou mais do que isto, eu realmente amei a dinâmica e a maneira como fiquei extasiada ao terminar o livro.













Título: Quando Uma Garota Entra Em Um BarPáginas: 238 | Autor(a): Helena S. Paige Tradutor(a): Robson Falchetti Peixoto | Editora: Novo Conceito

22 jan, 2016

[RESENHA] Os Sullivans #10: Quando Um Homem Ama Uma Mulher



Oi gente. Então, hoje eu estou
aqui para falar pra vocês sobre o livro Quando Um Homem Ama Uma Mulher, que é o
10º livro da serie Os Sullivans (Mas Aninha, não tem resenha sobre nenhum outro
livro dessa serie e você já vai começar pelo 10º? Sim gente vou!), este é o
livro que conta a origem da família Sullivan, e sim eu comecei a ler a serie
por ele (Porque eu tenho algum tipo de problema mental? Talvez, quem sabe?).
As histórias embora sejam a respeito da mesma família da pra ler os livros
separadamente e entender a história de cada um tranquilamente sem precisar
seguir a sequência, e juro que da próxima vez que tiver uma resenha sobre a
família Sullivan aqui será na ordem ok? Então vamos ao que interessa!

Quando um homem ama uma mulher
nos trás a história de Mary e Jack, os matriarcas da família Sullivan, como
eles se conheceram e como o amor se desenrolou ate formarem uma família
incrível. 
Mary é uma modelo famosa, linda
e que vive cercada de glamour, porém poucos são os que realmente vêem como é a
verdadeira Mary. Uma mulher de desejos simples, que foi tão machucada pela vida, que passa a não confiar nos homens que a procuram.
Jack é um engenheiro promissor
e inventor, que tem a brilhante ideia de criar uma agenda eletrônica, que
promete mudar a maneira com a qual as pessoas organizam sua vida. Um homem
lindo e determinado lutando para realizar seu sonho: lançar sua agenda. E qual
o problema? A empresa que comprou a ideia recua para o lançamento no natal
temendo que o produto não tenha saída. É neste desespero de encontrar a
salvação para o projeto de sua vida que Jack conhece Mary.

Os caminhos de Mary e Jack se
cruzam de uma maneira casual e extraordinária, uma verdadeira obra do destino.
Porém eles se vêem presos entre o profissional e o pessoal, pois Mary se recusa
envolver pessoalmente com alguém com quem ela tenha um relacionamento
profissional, mas o que ela não contava é que a atração que sente por Jack
possa sobrepor a qualquer regra que ela tenha imposto para si mesma.

Em meio a um conflito interno,
com problemas não resolvidos com o passado e com dificuldade de conciliar suas
próprias regras com a realidade que o destino lhe impôs, Mary acaba por ceder
aos encantos do doce e sensual Jack Sullivan, e assim a história de amor que
deu origem aos Sullivans surge.

A história de Mary e Jack é incrível,
pois é um amor sincero e rápido, e de uma leitura simples e fácil, quando você
assusta já acabou o livro. Eu não vi problema algum em começar a história pelo
livro 10, pois de certa forma é o inicio da história da família, embora no
final do livro eu  tenha ficado um pouco
sem saber quem era quem quando eles vão falando dos filhos, foi o único
problema e que não interfere em nada na leitura. A escrita da Bella Andre flui
muito fácil, não tem aqueles pontos em que você fica agarrado na leitura, ela
simplesmente acontece e você termina o livro rapidamente e com um sentimento de
que precisa conhecer cada membro desta família para ficar feliz.

Só tenho uma ressalva quando a
revisão do livro, pois há alguns erros que podemos chamar de digitação, não sei
quanto a vocês, mas eu me sinto muito incomodada quando leio um livro e ele vem
recheado de erros de digitação, de português, do que seja. Realmente me incomoda
bastante.
No mais a história é muito boa,
é fácil e encantadora, não é um livro que o deixe desesperado em determinados
momentos, você simplesmente segue a história. É muito bom pra quando a gente ta
naquela fase que não quer ler nada, ou que sofreu tanto com o termino de um
livro que não quer ler mais nenhum (ele me ajudou a recuperar de Supernova: O
Encantador de Flechas). 














Título: Quando um homem ama uma mulher | Série: Os SullivansPáginas: 298 | Autor(a): Bella Andre Tradutor(a): Marseley de  Marco Martins Dantas | Editora: Novo Conceito
19 jan, 2016

[RESENHA] Neve Na Primavera

Oiiii
amores, hoje tô aqui para contar para vocês o que eu achei de Neve na Primavera
da Sarah Jio. Eu já o li a um tempinho e admito que tive um pouco de
dificuldade para escrever esta resenha, porque eu fiquei emocionalmente abalada
quando acabei de ler o livro, e fiquei tão apaixonada que foi difícil colocar
em palavras tudo o que senti com este livro. Mas, vamos ao que interessa né?



Duas
mulheres completamente diferentes. Duas histórias de amor e sofrimento. Dois
tempos diferentes, o que então pode ligar a história de ambas. 
Na
Seattle de 1933, Vera Ray uma jovem camareira, mãe de um menino lindo de 3 anos
chamado Daniel. 




Mesmo não querendo, se vê obrigada a ir trabalhar no turno da
noite, pois é este emprego que garante o sustento dela e do pequeno Daniel, mesmo tendo que deixá-lo sozinho. Na manhã seguinte, em um 2 de Maio
inusitado, a cidade amanhece sob uma nevasca fora de época, Vera se apressa para
chegar em casa antes que Daniel acorde, mas ao chegar ao destino, encontra a cama
do menino vazia e o inseparável urso de pelúcia jogado na rua, esquecido sobre
a neve.

Nos
tempos atuais a repórter Claire Aldridge, é acordada por uma nevasca fora de
época, o dia? 2 de Maio. Designada para escrever sobre o fenômeno que acontece
pela segunda vez em 70 anos, Claire se depara com o caso do pequeno Daniel Ray, que permanece sem solução. Com um interesse pessoal inexplicável no caso, ela tem pela primeira vez em 1 ano, vontade de realmente escrever uma matéria.
Porém ela se vê presa por obstáculos, que vão não somente pela falta de rastros
do paradeiro do menino, como as barreiras que sua família (que é dona do
jornal) impõe. Mas, contra tudo e contra todos, ela continua a investigar e
acaba por descobrir que está mais próxima de Vera Ray do que jamais poderia
imaginar.


O livro
é intercalado a principio. Um capitulo quem narra é Vera e o próximo Claire,
mas não necessariamente são sequentes, porém, a maneira como a história é
narrada facilita o entendimento dos fatos. A narrativa é muito bem feita, e de
compreensão imediata (não é aquele tipo de história que a gente precisa ficar
voltando e relendo pra entender), os personagens são muito bem escritos. Todos
eles, não somente os principais.

É uma
narrativa inesperada e surpreendente de uma jeito positivo, alguns fatos deu
pra começar a desconfiar em determinado ponto do livro, mas outros, a gente só
descobre no final do livro, e é aquele tipo de descoberta que eu fiquei bem
assim: “Oh, Não acreditooooooo”. Então, de uma maneira geral, o livro é
simplesmente INCRÍVEL. Não tenho palavras para dizer o quanto eu o amei. É natural e sensacional de uma maneira que a muito tempo eu não via em um livro. Cada personagem é simplesmente apaixonante, até aqueles que amaremos
odiar.



Eu só fiquei incomodada com uma coisa: não teve a matéria do jornal. Claire escreve a matéria, mas nos não a lemos e isto me deixou bem incomodada, porque de certa forma, mesmo que saibamos o que acontece na história, eu queria ler a matéria, queria ver como ela transmitiu para os outros aquilo que ela pesquisou e que sentiu. Nós vivemos com ela a história, mas fiquei bem curiosa para ver como ela passaria ao mundo em palavras aquilo que ela viveu e descobriu. Enfim, para mim este foi o único ponto que ficou faltando na história.

A Sarah
Jio acaba de virar uma de minhas autoras preferidas (E olha que eu nunca li
outro livro dela, pelo menos não ainda rs), ela tem uma escrita 
fácil, e
enlaça a história por todos os lados. Quando comecei a ler, a primeira coisa que
pensei foi: “isto não vai dar certo, duas personagens narrando e  em tempos diferentes?”, e aí ela me deu um
lindo tapa e em determinada altura do livro parece que disse “Querida você não sabe de nada,
só lê e sofre ai!”
Rs. Bom estou simplesmente apaixonada e decidida de que se
um dia eu tiver um filho, ele se chamará Daniel
(E não, eu não pretendo ter
filhos, mas vai que acontece, não é? Rs).


Título: Neve na Primavera | Páginas: 333 | Autor(a): Sarah Jio 
Tradutor(a): Rafael Gustavo Spigel | Editora: Novo Conceito
03 nov, 2015

[RESENHA] Supernova #1: O Encantador de Flechas



Amores, hoje eu vou contar para
vocês um pouquinho sobre o primeiro volume de Supernova: O Encantador de Flechas, que eu recebi a um tempinho, mas como tive uma relação de amor e ódio
muito grande com ele, acabei por demorar um pouco para ler e mais um pouco
para conseguir fazer a resenha rs. Mas vamos ao que interessa não é mesmo?

Acigam é uma cidade isolada que
vive sob um regime ditatorial implacável que vive com a ameaça de uma guerra
civil. De um lado temos a Guilda, composta por Magos que utilizam e praticam
conhecimentos a respeito das Ciências das Energias para conseguir direitos para
a população, do outro lado um Governo tirano cercado por soldados e assassinos
treinados para matar Magos.

É neste contexto que conhecemos
o jovem Leran, um garoto que vive a vida como se não soubesse dos mistérios que
os muros da cidade ocultam, é quando descobrimos que embora ele não saiba da
guerra iminente, ele sabe sobre os Magos e descobre em si habilidades muito
especiais.

Quando a guerra que antes era
abafada pelo Governo vem à tona, Leran se vê inserido na guerra e tendo de
proteger sua mãe e irmã. Mas como proteger alguém que aparentemente é mais
forte do que você? E como lidar com os conflitos de paixão adolescente podem
atrapalhar seu desempenho na guerra? E como treinar e ainda amadurecer com as
dificuldades que a vida adulta pode trazer?

O encantador de flechas é um
livro mais de descobertas, não somente do Leran, mas de diversos personagens e
dos leitores também (por que é o primeiro contato com um mundo incrível e são
muitos nomes estranhos para guardar), às vezes a leitura fica um pouco cansativa,
pois são muitas informações para assimilar, e às vezes a revolta bate tão forte
que se você não da uma pausa na leitura, acaba por querer jogar o livro na
parede (sim eu sou dada a este tipo de agressividade).

Todos os personagens são muito
bem estruturados, daquele tipo que não te deixa pensando “Pra que ele serve?”,
afora o fato de serem apaixonantes, e quando digo apaixonantes digo de uma
forma geral (pois ou você irá amar ou irá odiar), eu tive um conflito somente
com a Judra e até agora eu não sei se eu a amo ou a odeio e tem o Leran que às
vezes me irrita profundamente (pra não dizer que às vezes ele é burro mesmo).

Os conflitos acontecem de uma
maneira linear e é mais fácil de ler (é uma guerra se fica indo e voltando
acaba ficando chato e cansativo), fora que a maneira que eles vão se
desenrolando até chegar ao auge da guerra te faz querer ler desesperadamente (para não
dizer comer o livro)
, e é nesse desespero todo que me bateu uma vontade absurda
de agredir o Renan Carvalho. Por quê? Ele tenta arrancar o coração da
gente do peito pra pode jogar no chão pisar e depois incinerar e este foi o principal motivo de ter de dar uma parada,
pois comecei a sentir umas palpitações e achei que ia enfartar (dramático? Sim,
mas verídico)
, e depois fiquei “não acredito que você fez isso!” e depois
“pra quê fazer isto com o coração das pessoas?”
Meu relacionamento com O
Encantador de Flechas
foi de um amor e ódio profundo, mas o amor prevaleceu e
agora eu estou enlouquecida para ler A Estrela dos Mortos, livro que da continuação à saga!













Título: O Encantador de Flechas | Série: SupernovaPáginas: 438 | Autor(a): Renan Carvalho  | Editora: Novo Conceito

10 fev, 2015

[RESENHA] Trilogia Branca de Neve #1: Vermelho Como o Sangue

Hoje nós vamos falar sobre o lançamento do primeiro livro da
Trilogia da Branca de Neve, lançado pela Novo Conceito. Vermelho como o sangue
é primeiro livro da trilogia (seguido pro Branco como a neve e Preto como o
ébano), é uma trilogia muito falada, e eu estava um pouco curiosa para ler…

Lumikki Anderson é uma adolescente de 17 anos, que vive
sozinha, longe dos pais e do passado que ela tanto desejou deixar para trás.
Agora ela estuda em uma conceituada escola de arte, onde se concentra nos
estudos e se matem longe dos holofotes e eventos sociais realizados e dominados
pelos garotos e garotas perfeitos da escola…


Sua vida discreta e seu desejo de permanecer invisível
desaparecem quando em um momento sozinha, no laboratório de fotografia da
escola, ela encontra penduradas para secar uma quantidade absurda de notas
manchadas de vermelho e ainda úmidas. Sem querer, e levada pela curiosidade,
Lumikki acaba por se envolver no mistério das notas manchadas com sangue. Sua
jornada começa quando ela percebe que o mistério que envolve as notas está
ligado a policiais corruptos e grandes traficantes da cidade.

O que começa com um simples caso de curiosidade, acaba por
levar Lumikki a um grande mistério, e antes que se dê conta, ela está enredada
neste universo sem caminho de volta.
O livro é repleto de mistérios e rompantes que somente o
mundo do crime como o conhecemos pode nos proporcionar. Lumikki tem um passado
do qual quer fugir, o que nos deixa intrigados e loucos para saber o que a
tornou o que ela é hoje, e como ela aprendeu as coisas que sabe.

Quando se envolve no mistério, percebemos que Lumikki já se
envolveu em muito mais coisas do que revela, e que estas coisas a deixaram com
uma perspicácia e certos dons para desvendar as coisas.

Eu particularmente esperava que o livro fosse ser algum tipo
de romance policial com uma personagem incrível, que iria desvendar coisas com
sua incrível inteligência, não sei se o fato de a autora meio ter se apegado a
continuação, e ai o livro ficou repleto de informações vazias e sem fundamento,
deixando o raciocínio perdido no meio do caminho em alguns pontos, pareceu-me,
com essas perdas, que na verdade a Lumikki não é uma adolescente diferente e
misteriosa, que usa sua inteligência pra desvendar as coisas, ela é
simplesmente uma adolescente intrometida e curiosa, que se enredou em um
caminho sem volta.
Acredito que a trilogia realmente possa ser boa, mas a perda
de alguns raciocínios ( e este é um fato constante no livro), acaba por meio
que desanimar e deixar o leitor impaciente. Espero que a sequencia mostre que
eu estou errada, e que os buracos deixados por Vermelho Como o Sangue sejam
tampados, e assim possamos admirar está trilogia. 


Título: Vermelho Como o Sangue | Série: Trilogia Branca de Neve | Páginas: 239
Autor(a): Salla Simukka | Tradutor(a): Bárbara Menezes | Editora: Novo Conceito
31 jan, 2015

[BOOK TALK #1] Simplesmente Acontece



Oi gente hoje finalmente vamos postar para vocês o primeiro Book Talk que conseguimos gravar {ouço gritos de aleluia}!!!!!!! A gente (Aninha, Carol e Jessie) leu Simplesmente Acontece e decidimos gravar as nossas impressões (só áudio, porque nós não somos obrigadas).

Nós nos divertimos muito com essa gravação e esperamos que vocês gostem tanto quanto nós três! Bom, o livro foi lançado há pouco tempo e pode ser encontrado em todas as livrarias. 




CAPAS PELO MUNDO

Clique na imagem para ampliar.
Capas da Novo Conceito


Por hoje é só pessoal. Muito obrigada por ouvirem toda a nossa conversa sobre Simplesmente Acontece. Se gostaram do book talk não deixem de compartilhar com todo mundo! Ahh, claro, se tiverem sugestões não deixem de entrar em contato conosco, vamos adorar recebê-las!
Por hoje é só, pessoal!!!
Até o próximo post.
Beijinhos :*