Posts arquivados em Tag: Romance de Época

12 jun, 2018

[MÊS DOS NAMORADOS] Mocinhos Favoritos


Oi gente! FELIZ DIA DOS NAMORADOS! O post de hoje é bem sobre o especial desse mês (se você não sabe do que estamos falando clica aqui!) e por isso trouxemos uma listinha com os CINCO MOCINHOS FAVORITOS de cada uma de nós! Quer saber o que está nas nossas listas? Então continua lendo este post!



JESSIE

Aproveita e se inscreve no nosso canal clicando aqui para não perder os próximos conteúdos!

ANINHA

1- Edward- O Segredo do Conde

Se vocês estão acompanhando o especial romance de época por aqui vocês viram que O Segredo do Conde reina ABSOLUTO como meu preferido deste gênero (quem não viu é só clicar aqui) e o maior responsável por todo este amor é o Edward, simplesmente porque ele é incrível! Um homem que não discrimina a mulher só por ela ser mulher, que ama incondicionalmente e que é capaz de atos altruístas que nem podemos imaginar (Vocês podem conferir o que eu achei da obra como um todo AQUI) ele é engraçado e responsável e principalmente sabe tratar bem uma mulher! Sem sombra de duvidas ele é meu mocinho preferido, o amor da minha vida dos romances de época e com certeza um dos que eu gostaria de trazer para a vida real. Ele tem um carisma todo especial e mesmo quando achamos em Codinome Lady V que ele é só um alcoólatra libertino, ele consegue nos conquistar, e se vocês não conhecem eu recomendo FORTEMENTE que corram para conhece-lo!!

2- Dominic- Raptada por um Conde

Como falar deste famoso aristocrata que tanto me intrigou e que depois simplesmente ganhou meu coração? (vocês podem conferir a resenha AQUI) Gente eu já achava nos primeiros livros das irmãs Cynster que tinha algo de completamente honroso no comportamento do Dominic, mas em Raptada por um Conde nos somos apresentados a pessoa dele propriamente dita e é impossível não se apaixonar por ele e pela causa dele. Ele é cuidadoso e envolvente, tem uma paixão nele que é impossível não se envolver, ele inspira responsabilidade, mas com um toque rebelde que me deixou irremediavelmente apaixonada.

3-  Gervase- Ligeiramente Seduzidos

Aaaa este é um dos que mais me encantou em toda a série dos Bedwyns, porque ele começou a história com um discurso de ódio e só pensando em vingança (vocês podem conferir um pouco mais AQUI) e ai alguns fatos aconteceram, ele descobriu que ódio nenhum pode superar o amor e quando nos apresenta quem ele realmente é, sem o estereotipo da vingança, ele é exatamente aquele tipo de cara pelo qual nos acabamos terrivelmente apaixonadas! Ele é prestativo e solicito, envolvente e charmoso com todo aquele toque galante que deixa as mocinhas suspirando pelos cantos. O Gervase é o tipo de homem dos sonhos para mim, porque ele não é perfeito, mas ainda assim cada detalhe dele é apaixonante.

4- Simon- O Duque e Eu

Simon é o cara que eu nem conheci e já me apaixonei, nem tinha lido sobre ele direito, mas nas primeiras páginas eu já me compadeci dele e isto acabou virando um amor. Ele é vingativo também (sim percebemos um padrão no meu gosto kkkk), mas até eu queria me vingar por ele, óbvio que não da maneira dele, mas eu queria muito porque o detentor do ódio dele ganhou o meu também. Mas fora este ponto, ele é esforçado e inteligente, luta para mostrar quem ele é e seu valor, ele é carismático e encantador, lindo de inúmeras formas diferentes que não compreendem só o físico descrito. Ele sabe nos convencer do ponto de vista dele, e aí quando assustamos já nos encontramos apaixonadas.

5- Rannulf- Ligeiramente Maliciosos

Meu ultimo lugar vai para o meu irmão (homem, porque eu amo mais as irmãs) Bedwyn preferido! Minha história com o Rannulf se deu de forma despretensiosa porque quando eu fui ler o livro dele eu simplesmente não queria (falei sobre isto AQUI) e ai ele veio e me mostrou que merecia ser conhecido, me provou que ia fazer com que eu me apaixonasse por ele, porque ele é um conquistador de primeira, desenvolto e cativante, ele é aquele homem que chama a atenção por onde passa, com o ar arrogante característico da família, mas uma desenvoltura e charme encantador completamente próprios. Ele é capaz de mostrar que está certo e que tem forças e determinação para lutar pelo que ele quer e pelo que acredita ser o certo, então de uma forma óbvia eu não poderia ter terminado minha leitura de outra forma que não amando ele.

11 jun, 2018

[RESENHA] Cavaleiros de Champagne #2: Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare


Oi gente! Na resenha do especial do Mês dos Namorados de hoje (e se você não sabe do que estou falando clica aqui) vou falar um pouquinho com vocês sobre Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare, um romance de época bem diferente que foi lançado a pouco tempo pela Editora Harlequin. Então continue lendo pra saber mais.



Clare tem um passado bastante conturbado o qual ela esconde de todos que estão  a sua volta, mas a assombra constante e incansavelmente. Ela nunca soube quem são seus pais, foi vendida como escrava e fez algo terrível para se livrar deste destino. A jovem realmente não levou uma vida fácil, mas quando encontrou o Sir. Geoffrey, uma cavaleiro de origem humilde, as coisas começaram a mudar.


Acontece que Geoffrey cometeu um terrível erro para para tentar ajudar sua mãe doente, Nicolla, e sua irmãzinha, Nell. O preço foi alto e ele acabou pagando com a própria vida. Sem querer desamparar as duas pessoas mais importantes da vida do homem que a ajudou ela acaba ficando e cuidando delas, o que leva Clare até um torneiro onde recebe uma terrível notícia: o mercador de escravos que a vendeu está na cidade e com uma característica tão marcante como a heterocromia seria facilmente reconhecida por ele.



É por causa do torneio que Sir. Arthur, um homem que não possui berço e por esforço próprio se tornou o mais importante dos cavaleiros do local, vê a jovem dama e logo tem a sensação de que a conhece. Ele a viu uma vez no funeral de Geoffrey, mas há algo mais o incomodando que ele não consegue dizer.




Pouco tempo depois  quando está voltando para casa com Nell ela se depara Verona, o mercador de escravos que a vendeu. Sem nenhuma outra opção ela manda a menina de volta para casa com uma desculpa e decide fugir de Champanhe naquele momento. Acontece que o time dela não poderia ser pior, já que é mais ou menos neste momento que Arthur se lembra porque ela lhe é tão familiar: ele já viu aqueles mesmos olhos em um Conde bretão. E então ele supõe que ela só pode ser a filha bastarda do mesmo.


Como Clare já havia partido, Arthur é enviado atrás dela e designado para levá-la até seu provável pai e apresentar um ao outro, mas a jornada dos dois toma rumos muito mais improváveis e uma ligação nasce entre os dois, uma ligação que Clare quer a todo custo ignorar enquanto Arthur deseja explorar…



Eu estava bastante ansiosa por essa leitura, mas confesso que Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare demorou a empolgar. Se eu não me engano ele é o segundo livro de uma série, mas o terceiro a ser lançado (uma bagunça total!) que se inicia com O Campeão De Lady Isobel ou Cartas Para Uma Falsa Dama, não sei dizer porque a ordem de lançamento desses livros pela Harlequin é uma bagunça só! Aliás pasmem: a editora não faz qualquer link entre os livros além do estilo da capa, deixando a entender que apesar de serem da mesma autora são independentes. O começo foi extremamente confuso por fazer menção ao livro anterior e olha que legal: eu não li! Então foi difícil avançar as primeiras cinquenta páginas, mas quando a narrativa foca na história de Arthur e Clare as coisas fluem melhor.



Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare talvez seja o romance de época mais diferentão que já li. Ele se passa em 1.174, então aqui não tem bailes e tudo que eu vejo em livros do gênero o quê foi bom, fugiu um pouco do esperado. Por outro lado isso coloca a trama em plena Idade Média, mas Carol Townend parece ignorar várias vezes a ambientação da história e coloca elementos tão progressivos na trama que fica difícil “comprar”. O que é realmente uma pena porque a premissa é interessante e o período em que se passa o romance também.




Clare é uma personagem cheia de nuances e com uma história absolutamente trágica o que me fez sentir empatia por ela quase que imediatamente. Arthur não é menos complexo e possui um charme que é difícil de ignorar, assim como seu senso de justiça e lealdade. A química entre eles é boae apesar de eu ter demorado um pouco para torcer pelo casal quando aconteceu eles realmente me conquistaram.


Senti muita falta de personagens secundários, eles praticamente só aparecem no começo e no fim do livro, mas fiquei particularmente apegada a Francesca, cuja vida é diretamente afetada e modificada pela simples existência de Clare e que, a princípio, eu achei que detestaria. Nell também roubou meu coração, a garotinha temperamental é tão fofa que foi impossível não gostar dela, ainda mais levando em conta as coisas ruins pelas quais já passou ainda tão nova.



A capa é linda e o nome combina muito bem com a história, o fato de que a heterocromia da personagem está retratada nela me chamou especial atenção já que é fundamental para o desenvolvimento da história. A diagramação é bem simples, mas linda, a contracapa é cheia de arebescos verdes claros com fundo verde mais escuro e a fonte de tamanho agradável somada às páginas amareladas ajudam a leitura a fluir bem.



Não é que eu não tenha gostado do livro, mas esses pontos que citei acima realmente me incomodaram. Eu esperava mais, mas mesmo assim foi uma leitura legal, mas para mim a obra não passou disso o que achei realmente uma pena já que vi um grande potencial no enredo.








Título: Os Segredos Dos Olhos De Lady Clare Série: Cavaleiros de Champagne Páginas: 256 
Autora: Carol Townend Tradutora:  Silvia Moreira  | Editora: Harlequin | Ano: 2018

09 jun, 2018

[MÊS DOS NAMORADOS] Romances De Época Favoritos!



Oi gente! O post de hoje é bem sobre o especial desse mês (se você não sabe do que estamos falando clica aqui!) e por isso trouxemos uma listinha com os CINCO ROMANCES DE ÉPOCA FAVORITOS de cada uma de nós! Quer saber o que está nas nossas listas? Então continua lendo este post!


JESSIE

Aproveita e se inscreve no nosso canal clicando aqui para não perder os próximos conteúdos!


ANINHA

5- Os Bedwyns: Ligeiramente Seduzidos

Bom meu quinto lugar é para este livro que foi da primeira série de romances de época que eu li, e gente eu fiquei tão apaixonada que nunca mais sai deste universo. Ligeiramente Seduzidos é o quarto livro da série que contem 6 volumes e conta a história dos membros da família Bedwyn (vocês podem conferir todas as resenhas desta série AQUI) e vem contar para gente a história da irmã mais nova Morgan Bedwy, e de uma forma geral é o livro que mais me encantou, porque a gente consegue acompanhar toda a evolução da Morgan como mulher, temos um par romântico simplesmente encantador com uma história incrível também. É sem sombra de duvidas a obra em que a Mary Balogh conseguiu me conquistar da primeira a ultima página, com personagens incríveis e envolventes, fortes e determinados que terão meu amor pra sempre.



4- Os Bridgertons: O Duque e Eu

Eu demorei muito tempo para sucumbir ao maior fenômeno do romance de época: Julia Quinn, e isto porque só tinha em minhas mãos O Duque e Eu e tinha absoluta certeza que quando o lesse ficaria loucamente desesperada para ler os outros livros da serie, e adivinhem só? Eu estava certa! Os personagens são bem escritos e a autora soube criar tão bem o drama envolvendo o passado do Simon que não tem como não morrer de ódio pelo pai dele e se compadecer com tudo pelo que o rapaz passou, afora o obvio: é impossível não se apaixonar por ele (mesmo quando age como um idiota!) E a Daphne é uma mocinha incrível, dona de si e que sabe o que quer, as vezes ela da umas escorregadas, mas a gente entende que da época. De uma forma geral a história foi feita para ganhar corações e com certeza o meu é um dos que foram ganhados.

3- As Irmãs Cynster: Raptada Por Um Conde

O que dizer sobre estes livros que simplesmente me ganharam de primeira? No início do primeiro livro eu não diria que me apaixonaria assim por alguém que é capaz de sequestrar meninas de uma mesma família aparentemente sem um motivo justo (vocês podem conferir as resenhas AQUI). Mas gente a Stephanie Laurens tem uma escrita envolvente, com uma construção de personagens maravilhosa e um enredo de tirar o folego! Todos os livros são muito bons, mas esta é uma parte da história que foi encerrada com chave de ouro! Raptada Por Um Conde não é nada se não completamente envolvente, é uma obra que não tem como não se apaixonar porque a Angelica é a mais impetuosa e decidida das irmãs Cynster e o Dominc é o perfeito cavalheiro (apesar do que aparenta!). Ele é, se sombra de duvidas, o que arrebatou meu coração!



2- Quase Inocentes

Chegamos em um ponto frágil: o primeiro romance de época que li na minha vida! Sim, meu primeiro romance de época é um romance de banca, um romance que quase ninguém conhece e um romance que mesmo depois de anos (ele foi lançado em 2006 e vocês podem conferir a resenha dele AQUI) ainda possui um lugar super especial no meu coração! E por quê? Porque é uma história com uma personagem forte, que teve que enfrentar uma perda repentina e dolorosa dos pais e se viu obrigada a virar adulta, cuidar de uma taverna e de um avô que tinha o habito de “pegar coisas emprestadas” sem que seus donos soubessem do empréstimo. Assim Leah foi a primeira mocinha forte que eu conheci, e a primeira que acabou envolta em tudo o que ela sempre disse que iria evitar. Jack Morgan é o mocinho não tão mocinho assim, mas que é sedutor e de uma forma absurda acaba por conquistar o amor das pessoas. Foi também o primeiro personagem que me mostrou que ninguém inteiramente mau ou bom, tudo depende das circunstancias e das intenções. 

1- Os sedutores de Havisham: O Segredo do Conde

Chegamos ao meu primeiríssimo lugar! Aquela obra que possui total e completamente meu coração, aquela que me conquistou de um jeito absurdo e me fez entrar em ressaca. O Segredo do Conde era uma obra que eu aguardava ansiosamente e que superou completamente minhas expectativas (vocês podem conferir a resenha AQUI) foi uma história completamente envolvente, que tomou conta do meu coração! Com situações improváveis e um casal mais improvável ainda que a Lorraine Heath conseguiu me fazer shippar, ela me fez torcer pelo casal, me fez torcer para o Edward conseguir cada coisa que ele queria porque ele é tão apaixonante que eu quase entrei no livro e falei com ele “Você quer o mundo? Eu te dou!” kkkk o primeiro lugar do meu top 5 de romances de época não podia ser diferente porque é a obra que toma conta do meu coração! Desde o primeiro instante eu fiquei presa e curiosa para saber como as coisas seriam, derramei lagrimas e dei sorrisos, tudo em um misto de gratidão imenso! É sem sombra de duvidas o livro que eu mais recomendo, porque ele virou dono e proprietário do meu coração.

07 jun, 2018

[RESENHA] Os Sedutores de Havisham #2: O Segredo do Conde

 
Oiiii seus lindos, seguimos no nosso mês especial Romances de Época (se não sabem do que eu estou falando é só clicar AQUI) hoje nos vamos falar sobre o livro que eu estava mais ansiosa para ler este ano, que é o segundo volume de Os Sedutores de Havisham (a minha opinião sobre o primeiro vocês podem conferir AQUI) e eu não sei nem explicar a altura em que estavam as minhas expectativas depois de ler Codinome Lady V, e fico mais do que feliz em dizer que tudo o que eu esperava foi grandemente surpreendido, de uma forma incrível e totalmente avassaladora por O Segredo do Conde! Então bora lá conferir um pouquinho do que me deixou tão apaixonada.

Continue lendo

05 jun, 2018

[RESENHA] As Quatro Estações Do Amor #1: Segredos De Uma Noite De Verão

Oi gente! Hoje vamos começar o especial do mês dos namorados aqui no site (não sabe do que estou falando? Então clica aqui!), e para isso escolhi compartilhar com vocês a minha opinião sobre o livro Segredos de Uma Noite de Verão da Lisa Kleypas que foi lançado lá no longínquo ano de 2015 pela Editora Arqueiro e que vinha acumulando poeira (brincadeira! Tava bem guardadinho!) na minha estante até recentemente quando tive um surto e decidi ler todos os meus romances de época! Então continue lendo e descubra o que achei.



Annabelle Peyton é uma das mulheres mais lindas de Londres, mas com uma família arruinada e ela não possui dote algum, motivo pelo qual não conseguiu nenhuma proposta ainda, quer dizer, nenhuma proposta decente. Ninguém parece querer se casar com a jovem, mas tê-la como amante parece ser extremamente atraente para nobres aristocratas ou não, em especial para o senhor Simon Hunt, um rico mercantilista que não tem nenhuma gota de nobreza no seu sangue e também não age de maneira nada cavalheiresca.


Annabelle e Simon possuem um segredo que compartilham: um beijo roubado, anos antes, e sobre o qual os dois jamais falaram ou tampouco esqueceram. Mas a cada baile que o Sr. Hunt a tira para dançar ela recusa enfaticamente, deixando claro que não tem interesse nenhum em estar perto dele, mesmo que sua recusa implique em noite após noite prostrada numa cadeira ao lado de três outras garotas que também nunca são escolhidas. Em um destes bailes elas acabam conversando e trocando algumas confidências que fazem as quatro Annabelle Peyton, as irmãs Lillian e Dayse Bowman e Evangeline Jenner se unirem com um propósito: conseguir arrumar um marido.

Todas concordam que como Annabelle é a mais velha das quatro será a primeira a se casar (assim a ordem é definida pela idade!) e traçam o seu plano para dar o bote em um dos nobres disponíveis no fim da temporada em uma festa que durará algumas semanas na propriedade do conde Westcliff. E o que elas farão? A ideia é conseguir flagrar Annabelle sendo comprometida e, desta forma, o nobre teria que toma-la como esposa resolvendo assim os problemas financeiros da família Peyton. As quatro jovens só não contavam com uma importante variável: a atração mútua entre a Srta. Peyton e o Sr. Hunt.

Como disse no começo da resenha estou muito viciada em romances de época nos últimos tempos e estou chocada com quanta coisa boa do gênero tinha aqui na minha estante, mas infelizmente Segredos de Uma Noite de Verão não passou nem perto de ser um dos meus favoritos, apesar de eu ter curtido a leitura e ter aproveitado (ainda estou lendo os outros volumes no momento desta resenha!) os outros volumes se mostraram muito melhores que este.

Meu maior problema com a história é a sua protagonista. Annabelle é extremamente fútil! Não estou reclamando sobre o fato de ela querer um marido rico, entendo essa parte porque depende dela salvar a família do buraco em que estava, mas acontece que ela não aceita as investidas de Simon pelo simples fato de ele não ter um título de nobreza, mesmo este tendo se mostrado gentil com ela quando a jovem precisou dele. Sem contar as coisas que ela fala durante o livro, como o fato de ter criados ser sinônimo de status (ou algo assim!) é absolutamente ridículo.



Foi um fato que se fez presente desde o começo e até entendo que ela almeje coisas, ainda mais depois de anos e anos de privação, mas só lendo mesmo pra entender do que estou falando, há cenas onde ela reclama de não ser convidada para bailes, de ter que conviver com pessoas de um “nível inferior” e que mesmo aristocratas falidas a desprezam! Fiquei me perguntando: já que é assim querida, por que diabos você gostaria de relacionar com alguém desse tipo?, mas vai entender a personagem da Lisa! E vai ficando cada vez pior nos próximos volumes.

Também me incomodou o fato de a narrativa, que é feita em terceira pessoa, ser absolutamente focada na Annabelle. Já não gosto dela, então este fato não contribuiu muito. Acontece que quando um autor decide narrar algo em terceira pessoa eu entendo (e espero!) que haja uma expansão do pov, mas se o livro teve dez capítulos focados no Simon ficaria surpresa e eis porque isso me irritou ainda mais: eu adorei o Simon desde que ele a beijou de surpresa em um evento. O sarcasmo e a perspicácia dele realmente me fizeram ficar bastante caidinha pelo personagem.


Confesso que o que salvou pra mim no livro foram as outras três personagens (que tornam tudo mais divertido!), o irmão mais novo da Annabelle, Jeremy e um drama envolvendo a mãe e um cara bastante escroto que estava se aproveitando da situação ruim pela qual a família estava passando para tirar vantagens. Além, é óbvio, do próprio Simon Hunt. No final, acabei vendo que só gostei desse livro por causa dos outros personagens.

A capa do livro é linda, isso é inquestionável, mas a diagramação me incomodou demais! Apesar de ter folhas amarelas, o livro tem capítulos que começam na mesma página que o anterior termina. Isso me incomoda de uma maneira inexplicável (digam ‘oi’ para o meu TOC!) e diminuiu muito a velocidade da leitura para mim (poxa Arqueiro! Vacilou né?!).

Apesar de um começo não muito feliz, fiquei tão empolgada com as outras três personagens que prossegui na série e recomendo bastante até o momento. Este foi o meu primeiro contato com a Lisa Kleypas e acredito que tenha se iniciado razoavelmente bem, mas o próximo livro foi uma leitura arrasadora!






Título: Segredos De Uma Noite De Verão Série: As Quatro Estações Do Amor Páginas: 288
 Autora: Lisa Kleypas Tradutora:  Janaína Senna | Editora: Arqueiro | Ano: 2015


AS QUATRO ESTAÇÕES DO AMOR
Segredos De Uma Noite De Verão | Era Uma Vez No Outono | Pecados No Inverno | Escândalos Na Primavera | Uma Noite Inesquecível 
04 jun, 2018

[ESPECIAL] Mês Dos Namorados!


Oi gente! Hoje tem post extra aqui no blog porque queremos dar uma notícia muito maravilhosa sobre o que vai acontecer aqui no site durante todo o mês de junho! Então vem saber das novidades gente!

Aproveita e se inscreve no nosso canal clicando aqui para não perder os próximos conteúdos!


Sim! Você não entendeu errado! Vamos ter um mês inteiro dedicado aos ROMANCES DE ÉPOCA aqui no Paraíso Literário (claro que vamos trazer outros conteúdos também!), uma semana LGBTQpara celebrar a diversidade e ainda uma grande surpresa no nosso aniversário de quatro anos!

Se isso não for motivo suficiente para que fiquem ligadinhos aqui, não sei o que é (rs!). Espero que continuem nos acompanhando e gostem das novidades. Assistam ao vídeo porque vai estar tudo bem explicadinho ali!
10 abr, 2018

[RESENHA] Lessons In Love #1: Como Se Vingar De Um Cretino



Oi gente! Hoje vim contar para vocês as minhas impressões sobre o livro Como Se Vingar De Um Cretino da Suzanne Enoch e que foi lançado no mês de março pela Editora Harlequin


Lady Georgiana Halley é a herdeira de uma fortuna enorme e de uma beleza inconcebível o que lhe garante pedidos de casamento semanais de todos os homens de seu círculo social, mas ela não aceita e aos vinte quatro anos ninguém entende porque a jovem dama está a caminho de se tornar uma solteirona.

O Visconde de Dare por outro lado está em uma situação complicada, depois da morte do pai, Tristan percebeu que estavam à beira da falência e agora, aos trinta anos, busca uma herdeira com quem possa se casar e salvar sua família. Claro que lady Georgiana seria uma ótima (talvez a melhor!) opção, mas os dois compartilham um segredo em seus passados que torna a convivência no presente impossível e, por isso, ele volta seu charme para Amelia Johns, uma debutante de dezoito anos, rica e aparentemente manipulável. A escolha perfeita.


Depois de uma notícia sobre o mau comportamento do Visconde de Dare, Georgie e suas amigas, Evelyn e Lucinda, decidem que vão, cada uma, ensinar uma lição a um cavalheiro diferente sobre como deve se tratar uma dama e assim, o escolhido de Georgie é o incorrigível Tristan, quem mais merece aprender uma lição senão aquele que inspirou a ideia?



Ao maquinar seu plano ela percebe que tem de ficar o mais próxima possível do visconde, por isso, quando descobre que a tia Mili de Tristan está acamada, a garota não perde tempo e oferece seus préstimos para cuidar da solteirona. Ela aceita imediatamente e, como Georgie mora com a tia, uma duquesa viúva que não precisa mais de sua companhia desde que o filho se casou, ninguém tenta impedi-la de ir se hospedar na casa do Visconde de Dare por um tempo, para ajudar sua adorável tia, claro.



Tristan desconfia logo das intenções que levaram lady Georgiana à se hospedar em sua casa, mas como negar ajuda a sua tia Mili e companhia feminina à tia Edwina? Além do mais ele tem algo maior e mais importante com que se preocupar: o futuro de toda a sua família. Mesmo assim o visconde decide que vai dar um jeito de descobrir os planos da moça.



Os dias se passam e Tristan continua sem entender as motivações de Georgie e sua interação com a família se torna cada vez maior e até Bit, seu irmão traumatizado, parece ganhar um pouco mais de vida perto dela. Bradshaw, Andrew e Edward, seus outros irmãos, também a adoram e parecem não compreender o motivo de Dare a detestar.



Georgiana por sua vez não consegue crer que o libertino sem coração que conhece pode ser tão amável com os membros da sua família. As linhas que se colocou quando decidiu ensinar uma lição à Tristan começam a ficar borradas e isso pode ser um caminho sem volta.



Para quem acompanha o Instagram do site (@paraisoliterario, segue lá!) sabe que fiquei bastante envolvida com a história da Georgie e do Tristan. Adoro livros onde o casal principal tem uma relação de gato e rato. Sempre me me divirto com as discussões acaloradas que esse tipo de casal gera.



Georgiana está muito à frente de seu tempo. Não aceita que a tratem com menos do que um respeito absoluto, não aceita pedidos de casamentos motivados por falsa afeição ou mesmo interesse em seu dote e, de jeito nenhum, se submete a qualquer coisa que não seja de sua vontade.



Tristan é ambíguo, ao mesmo tempo que é um canalha com as mulheres, também é extremamente cuidadoso com as tias e os irmãos. Mesmo com Georgie ele acaba tendo momentos bastante carinhosos, mas trata Amelia sem nenhuma cortesia e ela deveria se tornar sua futura noiva.


Há personagens pelos quais me encantei, Bit, o irmão do meio (se não me engano), possui um trauma muito grande que só é revelado superficialmente no fim da história e eu gostaria de saber mais sobre ele. Tem também o jovem Edward, que é apenas uma criança de oito ou nove anos, e que me conquistou. 



As tias Mili e Edwina são sensacionais. Bradshaw aparece bem pouco e Andrew é pouco mais que uma mobília para a trama. Frederia, a duquesa viúva, tem seus momentos assim como seu filho. E por falar no filho da duquesa… Tive a impressão de que há um livro dele, mas ainda não pesquisei a respeito. Se você souber por favor me conte nos comentários.


Adoro a capa de Como Se Vingar De Um Cretino, sem dúvida a melhor decisão da Harlequin foi muda-la. A diagramação simples somada às folhas amarelas tornam a leitura bastante confortável tanto que consegui terminar o livro em apenas um dia. Sim, achei o livro bem viciante!



O primeiro volume da trilogia Lessons In Love foi uma leitura rápida e divertida e muito recomendada se você deseja uma história leve e fluida que lhe arranque algumas risadas e suspiros não pode deixar de ler Como se Vingar de um Cretino.






Título: Como Se Vingar De Um Cretino Série: Lessons In Love Páginas: 288 
Autora: Suzanne Enoch Tradutora:  Thalita Uba  Editora: Harlequin | Ano: 2018
06 fev, 2018

[RESENHA] Escândalos e Canalhas #2: Amor Para Um Escocês



Oi gente! Hoje eu vim aqui contar para vocês as minhas impressões sobre Amor Para Um Escocês, segundo volume da série de romances de época Escândalos & Canalhas escrita pela Sarah MacLean e publicada pela Editora Gutenberg!



Lilian Hargrove é a mulher mais bela de toda Londres. Isto é um fato reconhecido por todos os homens e invejado por todas as mulheres. O problema é que a jovem é órfã e está sob os cuidados do ducato de Warnick, mas aparentemente a jovem não possui uma sorte muito boa com seus Guardiões uma vez que os primeiros dezessete morreram em muito pouco tempo.


Então Lily acaba se tornando responsabilidade de Alec Stuart, um escocês de dois metros de altura e também o atual Duque de Warnick, que aparentemente despreza o título e não quer ter relações com nada que seja inglês o que, por consequência, acaba fazendo com que não saiba da existência de uma pupila em Londres e que, por sua vez, faça a vida da jovem se tornar um tanto solitária. Sem um homem para apresenta-la à sociedade, como Lily terá um futuro? 



Sem esperanças de um futuro na sociedade londrina, Lily se vê imensamente feliz quando um pintor de grande talento da época, Derek Hawkins, demonstra interesse por ela. Um homem absolutamente sem escrúpulos e, depois de engala-la para que Lily pose nua para ele e prometer que o tal quadro jamais seria visto por mais ninguém, Hawkins decide expor seu trabalho em um evento grandioso que está para acontecer em Londres. Antes mesmo de ser visto, o tal quadro já acaba com a reputação da pobre garota.



Devastada e sem qualquer esperança ou expectativa de que consiga realizar o sonho de se casar com um homem que ama, depois de ter sido tão terrivelmente enganada, Lily começa a pensar em maneiras de sobreviver ao grande escândalo e apenas uma coisa lhe ocorre: ela deve herdar cinco mil libras no dia de seu aniversário de vinte e quatro anos e com esse dinheiro pretende fugir.



Sem muitas explicações ou esclarecimentos, Alec é convocado até a Inglaterra para tentar salvar a honra de sua pupila, antes esquecida e agora arruinada para a Sociedade. E, claro, ele já possui um plano: casa-la com um homem antes que a Exposição Real aconteça e todos vejam o escandaloso quadro da Linda Lily (como os jornais de fofoca da época a chamam) e ele só tem dez dias para tanto e um problema começa a surgir: quanto mais conhece a jovem pupila, mais Alec se sente irresistivelmente atraído por ela, mas absolutamente indigno de sequer sonhar com a bela Lilian Hargrover. Como casa-la com outro quando ele mesmo começa a se apaixonar tão profundamente por ela?



Eu selecionei esse livro, em dezembro do ano passado, sem nem ao menos ler a sinopse direito (já expliquei como escolho meus livros num post no IG do blog que você pode ver clicando aqui.) e para ser bem honesta não esperava algo leve e divertido, que até onde eu sei é o que a leitura de um romance de época costuma ser (esse é o segundo que leio na vida!) e que talvez me agradasse. O que, de forma alguma, esperava é que a história de Amor Para Um Escocês me arrebatasse!



Um dos pontos mais interessantes para mim é como a autora decidiu abordar um tema tão atual em uma época passada. Veja se a história lhe soa vagamente familiar: a mulher se vê apaixonada, confia ao objeto de seu sentimento uma imagem dela nua, a imagem é vista por todo mundo. Já ouviu isso antes? Pois é, mas aqui não é uma fotografia e sim uma pintura que é revelada!


Em vários momentos Lilian é criticada e apontada, rechaçada e humilhada, rotulada e excluída da Sociedade de Londres apenas por ter acreditado em um homem que não devia (isso antes mesmo da obra ser exposta!). Fiquei pensando que quando o assunto é a mulher e sua sexualidade pouco se modificou nos últimos séculos, ainda somos julgadas por nossas escolhas muito mais do que qualquer homem jamais será. Nosso corpo não pode ser mostrado demais ou somos rotuladas e temos o caráter questionado. 


Eu fiquei completamente apaixonada pela história e muito disso se deve ao casal protagonista. Lilian começa o livro com certa ingenuidade e morrendo de vergonha pelo que aconteceu e se culpando pelo escândalo, mas conforme a história vai deslanchando ela consegue encontrar sua força e se reerguer e passa a entender que tudo que aconteceu é culpa de Hawkins por ter abusado da confiança que ela tinha nele. 


Alec não é menos importante na história, além de também ter sua própria evolução, ele também é fundamental para que a jovem encontre (ou talvez reencontre!) a confiança que lhe foi arrancada com a exposição de seu nu. Eu realmente torci pelo casal e fiquei bastante feliz com como a autora acabou tomando decisões acertadas em se tratando da relação dos dois.


Por fim preciso dizer que fiquei pra lá de satisfeita com o que Sarah MacLean decidiu dar ao patife do Hawkins e só não vou falar qual é porque vocês precisam ler. Ele é um narcisista então acredito que o melhor castigo que poderia ter conseguido era este!


Encontrei pouquíssimos erros na edição, nada que tenha me incomodado durante a leitura e a edição da Gutenberg está belíssima com cada capítulo começando como se fosse uma manchete de tabloide o que, aliás, tem absolutamente tudo a ver com a história. Também tive a curiosidade de procurar a capa original do livro e fiquei ainda mais apaixonada pela brasileira porque, sério gente, a americana é muito ruim.


No final do livro a autora fala que se inspirou nos escândalos atuais para compor a série e que é uma consumidora desse tipo de notícia. Para ser bem sincera gosto da premissa de Escândalos e Canalhas principalmente por isso, porque aponta a futilidade que é acompanhar a vida de outras pessoas através de sites de fofoca e coisas do tipo, mas isto é a minha opinião, e eu aplico à minha vida. Se você gosta, então não deve parar de consumir este tipo de coisa!


Tem um vídeo no canal sobre uma duologia que fala de divulgação de fotos íntimas e para vê-lo basta clicar aqui, mas acho sempre válido reforçar que divulgar ou compartilhar fotos íntimas de uma pessoa sem o seu consentimento é crime segundo a Lei 12.737/12.






Título: Amor Para Um Escocês Série: Escândalos e Canalhas Páginas: 330

Autora: Sarah MacLean  Tradutora:  A.C. Reis  Editora: Gutenberg


ESCÂNDALOS & CANALHAS

Cilada Para Um Marquês  | Amor Para Um Escocês | Perigo Para Um Inglês