01 jul, 2020

[RESENHA] Meu Medo de Amar

Lauren era apenas uma garotinha de 16 anos quando teve seu coração partido pela primeira vez. Partido não, completamente despedaçado pela traição de seu namorado Steve com sua amiga Jenna. Foi a partir daquele momento que seu mundo se fechou para o amor e a sua existência virou um espelho real da amargura, ódio e sofrimento. A partir daí a garota passa a ser alguém totalmente descrente do amor, e não acredita em mais nada que algum homem diga sentir por ela. No entanto, após se mudar para Beaufort, Lauren conhece Lorenzo, atleta de voz encantadora e dono de um charme natural.

Enzo também é um romântico incorrigível, tem um beijo inesquecível e sabe sempre usar as palavras certas. Sim, ele é um pedido ambulante de “me ame” e alguém totalmente irresistível para ela.  Porém, todas as suas mágoas, transtornos e angústias são muito maiores que qualquer sentimento bom que pudesse ou quisesse se permitir, ter. Mesmo assim ela se vê em uma relação do tipo pega mas não se apega, e não vai demorar a descobrir que quando não temos responsabilidade emocional, até as mais simples relações podem deixar muitas marcas. Como se livrar de seus sentimentos repentinos por Lorenzo? E principalmente, como voltar a confiar no amor novamente depois de passar tanto tempo odiando-o mais do que tudo?

“— Porque você não me deixa te desvendar?

Porque existe demais a ser desvendado e há tanta beleza no mistério, que seria um pecado não aproveitá-lo.”

Bom, eu não sei nem por onde começar essa resenha. Primeiro, acho que eu preciso confessar que faz um bom tempo que eu não leio mais livros Jovem Adulto, principalmente porque mesmo tentando vestir a minha capinha de Kold aos 17 anos, não consigo mais me identificar com a grande maioria dos dramas que essas histórias trazem, no entanto, com Meu Medo de Amar eu simplesmente paguei a língua.

Entre as várias coisas a elogiar, preciso falar sobre a escrita da Thaís. Ela é envolvente, ágil, e me fez não querer parar de ler o livro. Tive que fazer uma longa pausa na leitura por motivos pessoais, mas quando voltei eu me senti acolhido e abraçado pela forma como seu jeito de escrever fez eu me sentir em casa. Isso não somente porque a descrição de lugares, características dos personagens e sentimentos são quase palpáveis, mas também porque a autora soube construir uma personalidade muito única tanta na escrita quando na história.

“Um homem sem masculinidade frágil e que enxerga o outro gênero com respeito e igualdade. Um homem que nunca me viu como menos e nunca me fez sentir como, também.”

Outro ponto alto é a forma como os personagens são muito bem trabalhados. Eu AMO personagens secundários, quem me conhece sabe disso, e a obra sabe explorar além da história do plot principal, as outras histórias que estão acontecendo em paralelo à ela. De forma singela, mas ao mesmo tempo dura, a autora soube como trazer críticas sociais importantes com a voz de seus personagens. Alison, El (amigas), e Rebecca (irmã da protagonista) trazem discursos bem maduros e importantes para a narrativa.

Se você espera encontrar nessas páginas rivalidades femininas, rivalidade entre ex-namoradas, exaltação de macho escroto e mais um monte de problemas sérios que eu vejo bastante em livros YA, você não vai. A Thaís teve uma responsabilidade imensa ao trabalhar todos esses temas, incluindo perda de virgindade, traição, perdão e confrontos que muitas vezes precisamos ter até com os nossos melhores amigos. Quando a sinopse diz que o livro não é apenas um clichê adolescente, ela está certo, porque a obra vai muito além.

— Você é linda. — seus olhos me analisavam carinhosamente. — É sempre linda, mas quando está feliz desse jeito, sua beleza transborda.”

O livro também trás uma imersão interessante na cultura Pop. Preparem-se para muitas músicas, citações a séries, e também à acontecimentos que marcaram época na vida de algumas divas pop (principalmente com relação à Britney Spears). Inclusive eu recomendo muito ouvir a playlist que a autora trás logo no início do livro enquanto você estiver lendo, vai deixar tudo ainda mais real (como se isso já não fosse o suficiente só lendo).

Sobre o assunto, o que pode irritar alguns com relação à citação de músicas, é que temos muitas repetições da frase: era possível ouvir “nome da música” de fundo. Isso ficou repetitivo provavelmente porque a autora quis dar um ar cinematográfico à narrativa, e por vezes eu senti que isso quebrava a construção da cena que já era envolvente em si sem precisar ser citada alguma canção. No entanto, em minha opinião, isso em nada tira todo o mérito do livro.

Eu preciso falar também que há muito tempo eu não lia uma obra com personagens e casais tão saudáveis emocionalmente. Sim, temos traição, e sim, são abordados temas sérios, mas nem por isso nos somos levados a encontrar nas páginas personagens que são completamente escrotos, principalmente masculinos. E narrativa é recheada de homens que sentem e não tem vergonha de sentir, que não estão imersos somente em realidades idiotas do universo masculino. E adivinhem? Nenhum deles parecem menos homens (no sentindo social esperado) por se permitirem isso.

“Ele me deu uma concha e eu lhe dei um peixinho amarelo. Ele me deu carinho e eu lhe dei amor. Ele fortaleceu uma amizade e eu me apaixonei.”

Outra coisa que não encontramos aqui são amores que acontecem do nada. Meu Medo de Amar é um livro longo, e isso permitiu que autora trabalhasse todos as relações para que nada soasse raso demais ou rápido demais. Esta é uma obra com uma carga emocional enorme, então espere pelo sofrimento por aquele amor ou paixonite, mas também pelo fortalecimento e crescimento de quem está passando por isso. Aliás, o enredo é muito sobre como se tornar adulto, física e emocionalmente, e eu amei como tudo foi trabalhado.

Acho que já deu pra perceber que eu amei a leitura, não é? Então se você está precisando de um livro que vai te tirar da monotonia que são a maioria dos YA’s de hoje, eu o indico muito. E se você está afim de uma leitura despretensiosa, mas que vai te deixar feliz, essa é a sua chance.

Ao final, a autora nos trás algumas cenas extras que são contadas pelo ponto de vista do Lorenzo, e que cumpre muito bem o seu papel de nos fazer entender o ponto de vista dele de alguns acontecimentos. Ou seja, a autora não precisou de um outro livro só pra isso, ela o fez nesse mesmo, e fechou a sua história com maestria.

Título: Meu Medo de Amar Páginas: 694 | Autor(a): Thaís Silveira   Editora: Independente | Ano: 2019

Avatar

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

11 Comentários

  • Avatar
    Tay Meneses
    julho 13, 2020

    Embora eu já tenha quase trinta anos nas costas adoro YA, é um tipo de leitura que geralmente quebra o gelo das leituras de fantasia, triller e suspense que leio. Confesso que esse livro eu não conhecia, mas já fiquei querendo ler. Dica anotada!

  • Avatar
    Pollyanna Campos
    julho 10, 2020

    Olá, tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas já quero lê-lo por diversos motivos. Adorei saber que o mesmo não aborda rivalidade feminina e entre ex. Isso realmente precisa ser mudado na literatura. Aparentemente esse livro é a prova de que tem formas diferentes de se abordar a temática.
    Outro ponto que adorei conhecer é essa questão do casal ser emocionalmente saudável, porque isso também está em falta rs
    Isso, unido as referencias a cultura pop fizeram este livro entrar para lista de futuras leituras. Dica anotada ♥
    Beijos!

  • Avatar
    Erika Monteiro
    julho 08, 2020

    Oie, tudo bem? Ah, me identifiquei demais com seu texto. Primeiro pelo fato de as vezes pensarmos que determinado enredo não irá nos envolver. Depois que “crescemos” ou amadurecemos é mais difícil ser fisgado pelo gênero YA mas alguns realmente mexem com a gente. Não sei dizer do que mais gostei… dos personagens secundários, da cultura pop, Britney Spears, ou da autora trazer uma playlist. Quem nunca sofreu por amor? Essa fase é cheia de incertezas, questionamentos, mas acabamos seguindo nossos corações (as vezes rs). Um abraço, Érika =^.^=

  • Avatar
    Kauan de Morais
    julho 07, 2020

    Nossa, achei a temática incrivel. A arte é um dos meus lugares favoritos para refletir sobre questões sociais, acho que realmente é uma ferramenta de transformação e, pelo jeito, esta obra deu uma boa contribuição para as discussões que abriu. Vi o “sobre mim” de vocês e MEU DEUS, as pessoas hackeiam blogs agora??? Que bom que vocês se reergueram. Abraço!

    • Avatar
      Koldney
      julho 09, 2020

      Oi Kauan,
      Então, sim, em pleno século XXI ainda tem pessoas que se incomodam com o crescimento de um projeto alheio. Mas nos reerguemos e vamos fazer isso sempre que precisar.
      Sobre a arte, realmente, ela nos permite demonstrar e sentir muita coisa, também é um dos meus lugares favoritos pra refletir sobre muita coisa.
      Abraço.

  • Avatar
    Dayhara Ribeiro Martins
    julho 05, 2020

    Já amei o livro só pelo fato do nome do personagem ser Lorenzo, nome do meu melhor amigo! Hahahha eu adoro essas obras que são recheadas de referências atuais porque a gente se sente totalmente conectado, né? Adorei demais sua resenha!

  • Avatar
    Ana Caroline Santos
    julho 05, 2020

    Olá, tudo bem? Realmente deu para perceber que amou a história hahaha E que baque essa nossa protagonista recebeu hein?! Não conhecia o título, mas fiquei curiosa, até porque gosto de enredos que trazem o amor de forma progressiva. Dica super anotada!
    Beijos

  • Avatar
    Ivi Campos
    julho 04, 2020

    Eu adorei essa coisa do amor não começar do nada porque isso me irrita um pouco nos romances atuais. Que bom que a leitura funcionou pra você, acho que esse livro tem tudo pra me conquistar também!
    Beijos

  • Avatar
    Larissa Dutra
    julho 02, 2020

    Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas fiquei cheia de vontade de ler por motivos de: é só um livro e tem um romance saudável. Adorei a resenha, já quero ler!

    Beijos,
    Duas Livreiras

  • Avatar
    Thaís Silveira
    julho 01, 2020

    Eu estou LITERALMENTE chorando! Que resenha linda, quanta sensibilidade, quanta gentileza… Obrigada por tanto carinho com a minha obra, o meu coração está sorrindo e eu também. De verdade, fiquei sem palavras para tanto amor. Obrigada, obrigada e obrigada! ♥️♥️♥️♥️

    • Avatar
      Koldney
      julho 01, 2020

      Oi Thaís.
      Eu que fico muito feliz em poder ter lido esse livro tão incrível e também por você ter gostado da resenha. Mal posso esperar pra ler mais histórias suas.
      Abraço virtual bem apertado.
      🙂